Rentabilidade sustentável: 4 dicas para manter o lucro da empresa

Rentabilidade sustentável: 4 dicas para manter o lucro da empresa

Qualquer empresa, independentemente do porte ou do segmento que se dedique a atender, já nasce com um objetivo bem claro: lucrar. A rentabilidade, quando perene, permite e endossa uma série de estratégias que culminam no desenvolvimento e no crescimento da operação.

Nada mais natural, portanto, que manter o foco em um objetivo simples de explicar, mas complexo de atingir: obter rentabilidade sustentável, ao longo dos anos, com expectativas coesas de alavancagem.

 

Quais são os principais entraves da rentabilidade sustentável?

O monitoramento contínuo, amparado em dados críveis e transparentes, é uma prática essencial para que eventuais desvios de rentabilidade sejam facilmente identificados e prontamente corrigidos.

A partir de balanços, relatórios gerenciais e análises dinâmicas, o gestor é capaz de analisar sua operação e seus resultados com cautela, imparcialidade e eficácia. Qualquer anomalia de processos ou de gestão pode ser, então, endereçada e ajustada.

É bastante recorrente que equívocos operacionais estejam comprometendo a lucratividade da empresa. Problemas de qualidade, por exemplo, aumentam os custos de produção. Dificuldades no estoque, por sua vez, encarecem a armazenagem e podem ocasionar perdas significativas.

Da mesma forma, uma estratégia inadequada, sempre que replicada, tem o poder de desviar os resultados da empresa e de derrubar o lucro da operação. Seja com a falta de planejamento, seja com uma frágil gestão financeira, o fato é que existem situações perigosas à rentabilidade e, portanto, também danosas à perenidade dos negócios.

 

Quais são as principais estratégias para manter o lucro da empresa?

Aos gestores, não é nenhuma novidade dizer que a volatilidade do mercado exige que haja dinamismo e versatilidade no momento de traçar as estratégias da empresa — as quais, por sua vez, guiarão os negócios na direção das metas que devem ser atingidas.

No esforço contínuo para manter a direção certa, principalmente no que tange à lucratividade da operação, uma série de táticas se mostram cada vez mais valiosas e podem ser largamente utilizadas em empresas dos mais diversos portes e segmentos.

1. Verifique se você adota o regime tributário mais adequado

No Brasil, a carga tributária é bastante agressiva e, se mal gerenciada, pode comprometer a saúde e a viabilidade do negócio. É essencial, portanto, que os gestores se preocupem com a eficiência de suas decisões e certifiquem-se de que o regime tributário em vigor é, de fato, o mais pertinente ao contexto da empresa.

É possível (e mesmo bastante comum) que, após um expressivo crescimento, seja necessário mudar a classificação tributária da empresa. Muitas começam, por exemplo, sob a chancela do Simples Nacional e, após certo tempo, precisam avançar para o Lucro Real ou Lucro Presumido.

A capacidade de analisar constantemente as réguas do negócio, observando o faturamento e reavaliando periodicamente o cenário tributário, desponta como um diferencial importante à manutenção do lucro.

Afinal, quando uma empresa tem equívocos tributários, o prejuízo é imenso — e, mais do que apenas afetar o financeiro, pode comprometer o funcionamento de todas as áreas do negócio.

2. Automatize o máximo possível

A automatização de tarefas é um excelente método para alavancar a rentabilidade da organização. Quando o fluxo processual dispensa o excesso de interferências manuais, há, de imediato, ganhos bastante significativos.

O capital humano pode ser deslocado para atividades com maior valor agregado, contribuindo para que o fluxo de tarefas estratégicas tenha mais espaço no cotidiano corporativo.

A automatização de procedimentos, por exemplo, otimiza os recursos, já que os custos de retrabalho — muito comum em processos excessivamente manuais — são minimizados.

3. Maximize a produtividade

Como não podia deixar de ser, a produtividade da empresa está diretamente ligada à eficiência dos recursos empresariais — sejam eles físicos, tais como máquinas e equipamentos, ou humanos, constituídos pelo próprio quadro de funcionários.

Para que uma empresa se torne (e se mantenha) competitiva, a produtividade é essencial e deve permear todos os níveis da empresa, da produção ao Comercial. Os apontamentos online no PCP, tanto quanto a automatização de lembretes no CRM, contribuem para tornar a gestão mais produtiva.

4. Acompanhe (e atualize) sua lista de preços

A manutenção da lista de preços, que é a estratégia de precificação traduzida no mercado, é uma atividade facilmente negligenciada. Esse comportamento gerencial, porém, pode culminar em danos sérios à organização — e prejudicar fatalmente o lucro da empresa.

Se os custos de produção sobem, por exemplo, seja por conta da implantação de uma melhoria tecnológica ou em função da valorização da matéria-prima, é fundamental que o adicional seja repassado ao mercado. Quando esse paralelo não é verdadeiro, é grande a chance de fechar as contas no vermelho, mesmo que as vendas se mantenham.

Na prática, embora soe mais simples do que a execução pressupõe, não há segredo: controle, integração e transparência são ingredientes indispensáveis para assegurar a conformidade da operação e a lucratividade sustentável do negócio.

Para que tudo isso se torne realidade no cotidiano corporativo, entretanto, é prudente dispor de ferramentas capazes de fornecer dados e insights valiosos à lucratividade.

O Areco ERP, sistema que permeia todo o workflow, é a tecnologia ideal para proporcionar o que o seu negócio precisa para crescer — e lucrar cada vez mais. As funcionalidades do software facilitam o controle fiscal e tributário, automatiza as rotinas corporativas e otimizam os recursos disponíveis.

Para entender como alavancar o seu negócio, fale com um consultor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *