Quais são e como corrigir os principais problemas de gestão da empresa?

Quais são e como corrigir os principais problemas de gestão da empresa?

As atividades gerenciais são desafiadoras e exigem que a liderança esteja alinhada às demandas do negócio e preparada para corresponder às expectativas do mercado. Quando a realidade se distancia dessa máxima, os problemas de gestão podem começam a acontecer.

O ideal, é claro, seria evitar qualquer transtorno administrativo e estratégico. Entretanto, em casos em que não é possível atalhar os empecilhos, o mais inteligente é identificar o(s) gargalo(s) e agir prontamente para corrigi-lo(s) em definitivo.

Os principais problemas de gestão no cotidiano empresarial

Qualquer empresa que se pretenda competitiva precisa se preocupar com a qualidade e com a efetividade de sua gestão. É fato que o cotidiano operacional está sujeito a falhas e que pode haver sensibilidades nos processos produtivos, mas é preciso monitorar os riscos e acompanhar performances para evitar desgastes desnecessários.

Os problemas de gestão podem estar ligados a uma série de fatores, departamentos ou procedimentos. E mais: nem sempre aquilo que foi identificado como possível causa é, de fato, o gargalo que está ocasionando perdas e prejuízos.

Por isso, é preciso que o líder estabeleça parâmetros e rotinas que confiram segurança às atividades estratégicas. Afinal, somente ao priorizar uma administração transparente é que se torna possível evitar (ou atenuar) os riscos gerenciais e tomar decisões com mais assertividade.

Fique, portanto, atento aos sinais de que algo pode estar equivocado em seus processos ou em sua equipe. Conheça alguns dos principais problemas de gestão e certifique-se de ser ágil na identificação deles.

1. Controle de estoque deficiente

O estoque é, geralmente, uma das operações mais sensíveis às organizações. Dentre os gestores, costumava haver uma crença perigosa: a de que a área era “responsável” por congelar parte do capital da empresa, gerando mais custos do que retornos.

Atualmente, porém, o cenário mudou completamente e os líderes estão conscientes da importância de priorizar a excelência na gestão de estoques. E nada mais justo! Afinal, garantir o suprimento necessário à produção — sem incorrer em custos desnecessários de armazenamento ou em desperdício de insumos — é primordial para viabilizar o desenvolvimento orgânico do negócio.

 2. Atrasos na produção

A linha de produção é uma etapa bastante crítica da operação, uma vez que sua eficiência (ou ineficiência) gera resultados impactam diretamente na performance global da empresa, positiva ou negativamente.

Os atrasos na produção estão comumente associados à falta de planejamento e a falhas no gerenciamento de processos. É preciso, portanto, manter-se alerta quanto aos eventuais desajustes nos prazos: são sinais que indicam morosidade nos processos, falta de padronização ou ausência de recursos capazes de maximizar a eficácia da planta.

3. Dificuldade no fechamento de novos negócios

A atividade comercial é dinâmica e altamente desafiadora — principalmente em um mercado tão competitivo quanto o contemporâneo. Se o volume de vendas da empresa está aquém do esperado, é preciso entender qual gargalo está impedindo o êxito nos fechamentos.

É plausível, por exemplo, que o time esteja enfrentando dificuldades para manter o relacionamento com o prospect. Outra possibilidade é que a sazonalidade esteja impactando nos resultados. Diante disso, o papel do gestor é identificar o problema e agir de forma a evita-lo.

Como corrigir os problemas de gestão na sua empresa

Identificar as dificuldades da operação é o primeiro passo para tratá-las. Certifique-se de chegar à raiz do problema para só então buscar uma solução definitiva. Qualquer outro movimento será paliativo e certamente não trará os resultados desejados.

É preciso entender quais gargalos vêm originando (e endossando) as deficiências e repará-los imediatamente. No caso dos estoques, por exemplo, a adoção de metodologias de ressuprimento automático podem sanar transtornos relacionados à falta ou ao excesso de matéria-prima.

Para potencializar a agilidade da produção, é conveniente reforçar o planejamento do PCP e apostar em uma boa engenharia de produtos. No que compete ao time comercial, por fim, é válido considerar a adoção de um CRM para gerenciar o andamento dos contatos e facilitar a extração de relatórios detalhados de performance.

Na prática, há um recurso capaz de auxiliar grandemente na expressiva maioria dos desafios gerenciais das empresas: a tecnologia integrada de gestão. Ao centralizar informações e assegurar a credibilidade dos dados, o ERP desponta como a ferramenta ideal para maximizar a administração de processos e pessoas, permitindo análises contundentes, profundas e em tempo real.

Para o líder, significa mais segurança na tomada de decisão e mais autonomia para combater os problemas de gestão. Para a empresa, significa mais potencial de desenvolvimento.

 

Para saber como podemos ajudá-lo a conquistar resultados cada vez mais expressivos, não deixe de

 

FALE COM UM CONSULTOR!

 

E mais:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *