Tudo sobre gestão e controle financeiro de pequenas empresas

Tudo sobre gestão e controle financeiro de pequenas empresas

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Para falarmos sobre a gestão e controle financeiro de pequenas empresas precisamos pensar nas questões humanas, administrativas e operacionais do negócio.

Assim como empresas de grande porte precisam de uma gestão e controle de qualidade, as pequenas empresas também se enquadram nesse cenário, afinal elas têm um grande potencial de se tornarem grandes empresas em um futuro não tão distante.

Conforme o negócio começa a crescer, a administração e a gestão da empresa começam a se tornar cada vez mais complexas, o proprietário começa a sentir a necessidade de utilizar outros meios e ferramentas para auxiliar a sua gestão.

Se você está passando por essa necessidade no momento, fique atento(a) ao conteúdo deste artigo, nele vamos ver alguns tópicos: o que é e como pode ser feita a gestão e o controle financeiro de uma empresa pequena.

Boa leitura!


Tempo de leitura: 16 minutos


 

Blog  Tudo sobre gestão e controle financeiro de pequenas empresas

 

O que é controle financeiro?

O controle financeiro é o ponto mais sensível do gerenciamento de um negócio e esse aspecto é comumente tratado e realizado da forma incorreta. Os principais erros cometidos são a falta de distinção entre despesas pessoais e empresariais, ausência de ferramentas de controle financeiro e automação e gestão baseada apenas no achismo.

Seu conceito consiste em basicamente ser todas as formas e meios que sua empresa registra as finanças, como por exemplo: entradas e saídas, contas futuras a pagar e receber, dentre outros controles básicos. Além de se basear na avaliação da condição financeira da empresa e na coordenação das atividades para essa finalidade.

Em suma, esse controle tem diversas utilidades. Tais como:

  • o controle de capital;
  • análise de viabilidade de projetos;
  • identificar o volume de fundos;
  • controlar eventuais desvios;
  • prevê o excesso de fundos ou falta deles;
  • auxilia no uso racional do dinheiro de acordo com a realidade e com os planos futuros da empresa.

O controle financeiro é um dos pilares base da boa gestão de uma empresa, ele é de suma importância para a previsibilidade de ganhos, gastos e lucros. Não há organização que prospere e gere receitas que não seja gerenciada em todos os seus aspectos.

 

O que é a gestão financeira?

Você sabe como andam as finanças da sua empresa? Onde você investe mais, onde você investe menos. Sabe realmente no que deve investir? Tem uma previsibilidade de ganho, lucro e gastos? Sabe como otimizar as finanças para obter mais lucro? Essas respostas só serão respondidas se você possuir uma boa gestão financeira.

Então entendemos que, a gestão financeira consiste em todo o pensamento estratégico, as avaliações, as análises e as decisões relacionadas à otimização, manutenção e administração de recursos. Resumindo, gestão financeira é o conjunto de medidas e procedimentos que visam potencializar e otimizar as finanças e os ganhos de sua empresa.

Essas ações são vitais para que uma organização obtenha bons resultados, pois permite estabelecer metas, estipular prazos e analisar se os resultados estão de acordo com o que estava planejado pela organização.

A gestão financeira também é baseada em algumas funções principais, tais como:

  • Planejamento financeiro: identificar problemas e desafios futuros e deixar claro a necessidade de crescimento da empresa;
  • Administração de ativos: estruturar os termos de risco e retorno dos ativos, de acompanhar defasagens entre entras e saídas e fazer uma boa gestão de investimentos;
  • Administração de passivos: gerenciar a estrutura de capital de organização e garantir a estrutura de capital mais eficaz com relação a liquidez, risco financeiro e redução de custos.

 

Controle financeiro x Gestão financeira

Você deve ter percebido o controle financeiro funciona como um utensílio para garantir a qualidade da gestão financeira, fazendo assim um bom proveito dos controles para otimização dos processos, direcionar estratégias e garantir a visão de curto, médio e longo prazo. Deste modo concluímos que o controle financeiro fornece um sistema de informações adequado para alimentar o fluxo de caixa, desde registros do presente quanto de planejamento futuros.

Em resumo, um bom controle financeiro é indispensável para ter uma boa gestão financeira. Os dois estando estritamente ligados, funcionando e atuando de forma correta na sua empresa, só trarão benefícios.

A gestão financeira representa o conjunto de ações, procedimentos e processos que o dão auxílio e as diretrizes à administração e ao controle financeiro das empresas, entendemos que pensar no futuro financeiro de uma empresa por meio da gestão é fundamental.

Nenhum gestor ou empreendedor quer apenas viver com as contas sempre no limite, certo? Por isso, a chave é uma boa gestão financeira atrelada a um rígido controle financeiro, assim, o aumento do lucro se torna tangível.


Se você está curtindo esse artigo, também vai gostar de:


Mas, como fazer o controle e a gestão financeira?

Sabemos agora o que é de fato a gestão e o controle financeiro e vimos a sua importância em uma empresa que visa a otimização do negócio e dos lucros. Muitos empresários não investem o tempo necessário para organizar as finanças de sua empresa de pequeno porte, isso é errado e tira a perspectiva de uma análise boa e real da saúde financeira da empresa.

Portanto para falarmos sobre como fazer, precisamos separar por tópicos importantíssimos que regem estas etapas.

 

Controle financeiro

 

  • Planejamento: faça o planejamento financeiro da sua empresa, anote e estruture todas as entras e saídas da empresa, organize todas as informações sobre as finanças e crie rotinas. A empresa sabe que dimensionar o capital de giro necessário no início do negócio, por exemplo, tem menos risco de ter de recorrer a um banco para um empréstimo.
  • Separe o pessoal do empresarial: esse é um dos maiores erros que as pequenas empresas cometem e que realmente afetam muito o desempenho e otimização financeira das mesmas, então separe todas as suas contas pessoais das contas da empresa, isso também irá ajudar no momento da declaração de Imposto de Renda, uma vez que é muito mais fácil o resultado separado de indivíduos e empresas. Ademais, faz com que o fluxo de caixa fique menos descomplicado e complexo.
  • Analise seu estoque: lembre-se, se seu estoque está parado, você não está vendendo, então está perdendo dinheiro! Faça um assíduo controle de estoque e entenda o seu cliente e suas necessidades, não faça compras desnecessárias e sem previsibilidade de venda, faça o controle com coerência e eficácia.
  • Capital de giro: analise as opções disponíveis no mercado antes de recorrer ao capital de terceiros. As parcerias são uma alternativa para capital de giro com taxas mais atrativas. As melhores taxas atualmente são pelo BNDES, mas há outras opções tão quanto interessantes em bancos comerciais. Pesquise, anote tudo e compare para encontrar a melhor opção para a sua empresa.

 

 

Gestão financeira

 

  • Controle de caixa: é uma rotina que você deve tomar onde você registra todas as movimentações financeiras de entradas e saídas realizadas pela sua empresa diariamente, funciona mais como uma ferramenta de controle simples do caixa no dia a dia da empresa, onde você consegue ver rapidamente a situação atual financeira.
  • Giro de estoque: como no controle financeiro não deixe o seu estoque ficar parado, faça a sua rotatividade. Na gestão, nos aprofundamos mais em questões de otimização, existem cálculos base que podemos fazer para realizar este giro de estoque com mais eficácia.
  • Gestão de clientes: trabalhar a perda e rotatividade de clientes com o objetivo de aumentar o faturamento e ainda melhorar o relacionamento com o consumidor, utilize ferramentas como o CRM para fazer esse gerenciamento e utilize estratégias específicas para não ocorrer esta perda.
  • Cuidado com os tributos: disponibilizar verba para o pagamento dos tributos obrigatórios é uma maneira inteligente de trabalhar com um dinheiro que tem um destino certo. Não há como fugir dessas obrigações e é um pagamento que não deve ser realizado em atraso, uma vez que há multas e juros que incidem sobre eles e esse é um dinheiro que você não precisa desperdiçar.

 

Você ainda está com dúvidas sobre a gestão e o controle financeiro? Quer conversar com um de nossos especialistas gratuitamente? Basta se cadastrar abaixo que você ganhará 1 hora de consultoria gratuita!

Fique tranquilo, nós entraremos em contato !

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *