Como o ERP pode solucionar as principais dificuldades das indústrias metal-eletro-mecânicas?

Como o ERP pode solucionar as principais dificuldades das indústrias metal-eletro-mecânicas?

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

As indústrias metal-eletro-mecânicas lidam diariamente com um ambiente bastante complexo. É preciso, por exemplo, manter uma área focada em pesquisa de produtos e máquinas sem, no entanto, descuidar da construção de projetos sob medida — viabilizados a partir de um processo comercial robusto e flexível.

Os desafios do segmento, dentro e fora da empresa, são inúmeros. Por outro lado, vale lembrar que há, também, boas oportunidades para modernizar operações e alavancar resultados, diferenciando o negócio em um mercado altamente competitivo.

Ao adotar ferramentas eficientes e padronizadas, capazes de automatizar rotinas e de suprimir erros humanos, o gestor acelera a escalada da companhia e mantém a saúde dos caixas corporativos. E o melhor: esses recursos não estão restritos a grandes potências industriais, permanecendo disponíveis a organizações dos mais diversos portes.

Vale explorar!

O desafio da produtividade nas indústrias metal-eletro-mecânicas

Já faz algum tempo que a discussão a respeito da produtividade permeia a rotina das lideranças industriais. Não é difícil entender o motivo: estudos desenvolvidos em empresas de vários segmentos apontaram que, em números totais, o nível de produtividade é um dos fatores determinantes na obtenção de lucro, fixando entre eles uma relação diretamente proporcional.

A busca por rotinas mais ágeis e eficientes é, portanto, justificável — e, no Brasil, os indicadores industriais estavam respondendo bem à iniciativa. Em 2018, a produtividade no setor cresceu 0,9%, superando o resultado registrado no ano anterior.

De acordo com um levantamento da CNI (Confederação Nacional das Indústrias), existe uma alternativa eficaz, além de disponível a todos, para melhorar os números. Um dos relatórios divulgados pela entidade, no final de 2009, ressaltou que a adoção de tecnologias de gestão promove um aumento de 22%, em média, na produtividade de pequenas e médias empresas.

A pesquisa da CNI valida a importância da modernização de processos e reforça a urgência de investimentos na área. A tecnologia é, de fato, um dos mais poderosos aliados da produtividade — e a indústria metal-eletro-mecânica precisa se beneficiar disso para continuar crescendo.

O poder do ERP nas indústrias metal-eletro-mecânicas

O ERP é o recurso ideal para padronizar rotinas, automatizar operações e potencializar a eficiência produtiva — tanto na fábrica quanto no administrativo.

No que se refere aos processos da indústria metal-eletro-mecânica, em específico, a tecnologia é capaz de simplificar a complexidade de tarefas comuns ao cotidiano da empresa. Solucionando as principais dificuldades do negócio nas mais diversas áreas. Confira!

Informações no chão de fábrica

Não seria equivocado dizer que, na indústria metal-eletro-mecânica, o chão de fábrica é o coração do negócio. Tudo o que pulsa na empresa está direta ou indiretamente relacionado à capacidade da linha, orbitando em torno das necessidades do setor.

Enquanto o departamento de Compras deve garantir que os insumos cheguem no tempo certo, mantendo o estoque de matéria-prima abastecido, por exemplo, os vendedores precisam que o cronograma produtivo funcione adequadamente, assegurando a entrega ao cliente no período combinado durante a negociação.

O chão de fábrica desponta, portanto, como uma espécie de central de informações. O planejamento da produção depende da verificação de máquinas disponíveis e todos os projetos de engenharia devem estar à disposição dos líderes da produção.

Da mesma forma, grande parte dos principais indicadores empresariais partem dos registros colhidos na linha produtiva. Da capacidade total à produtividade hora/máquina, passando pela estimativa de entrega e pelas taxas de desperdício de insumos, a maior parcela da inteligência nas indústrias metal-eletro-mecânicas se relaciona aos números da fábrica.

Por isso, é essencial que o fluxo de informações seja contínuo, além de claro e transparente. Cada interação tem influência nos resultados globais da companhia e precisa ser monitorado em tempo real.

O ERP, enquanto recurso integrado, é o mecanismo que centraliza e padroniza os dados internos da indústria metal-eletro-mecânica, do estoque ao comercial, de modo a favorecer as análises operacionais. Assim, sempre que necessário, reações imediatas e ajustes estratégicos podem ser executados com mais tranquilidade e eficácia.

Atualização de cadastros (e de projetos)

Os registros de engenharia funcionam como um mapa. A partir deles, toda a estrutura da fábrica é mobilizada em prol da produção de determinado produto, viabilizando as entregas. É, portanto, essencial que as informações do cadastro estejam sempre atualizadas — afinal, qualquer desvio no projeto é sinônimo de prejuízo nos caixas.

A engenharia do produto compreende a lista de materiais, o roteiro de produção e os demais parâmetros do item. O ERP acelera o processo ao disponibilizar, em poucos cliques, todos os documentos necessários e ao sinalizar a disponibilidade de máquinas e matéria-prima, liberando o funcionamento da linha.

Além disso, o software confere agilidade aos apontamentos, permitindo que apontamentos online, apurados em tempo real, atestem a assertividade da produção e validem a qualidade do produto acabado.

Ao dispor de tecnologia eficiente e integrada, as lideranças podem monitorar o desempenho da área — no que compete às máquinas e aos operadores, por exemplo — e identificar eventuais incoerências no projeto, evitando prejuízos na produção.

Por fim, vale lembrar que o ERP contribui para agilizar a aplicação de mudanças na estrutura do produto ou na dinâmica do processo produtivo, escoando as novas diretrizes com segurança para todos os setores envolvidos.

Redução de desperdícios nas indústrias metal-eletro-mecânica

Nas indústrias metal-eletro-mecânicas, produtividade também tem tudo a ver com qualidade. Por isso, a redução de desperdício costuma ser uma prioridade entre os gestores focados na alta performance de suas operações.

Na fábrica, os produtos com defeito podem advir de problemas mecânicos ou operacionais. A boa notícia é que ambos podem ser suprimidos por meio da adoção de um sistema robusto e aderente às rotinas produtivas.

Para reduzir o desperdício nas indústrias metal-eletro-mecânicas, o ERP oferece uma série de recursos e indicadores indispensáveis. É possível, por exemplo, rastrear matérias-primas e produtos acabados, reconhecendo deficiências de forma certeira e agindo proativamente para corrigir os desvios.

Da mesma forma, o software consolida os motivos de reprovação dos itens reprovados na garantia de qualidade e registra quais peças (ou produtos) precisaram ser retrabalhados. Pontuando a máquina e/ou o funcionário envolvido no processo inicial.

Todos esses dados populam relatórios estratégicos e podem orientar mudanças na dinâmica da fábrica. Mais uma vez, a padronização de rotinas e a centralização de informações se mostram fundamental na busca por alta produtividade — e altos retornos, é claro!

 

A essa altura, você provavelmente já está convencido de que um ERP robusto e atualizado é a solução que sua empresa precisa para continuar crescendo. Mas, atenção: certifique-se de optar por um fornecedor confiável e comprometido com o sucesso da sua operação.

Agende uma consultoria gratuita e conheça um pouco mais sobre o Areco ERP, que há mais de 30 anos suporta e desenvolve operações mais produtivas nas indústrias metal-eletro-mecânicas brasileiras.

4 dicas para reduzir custos na indústria de cosméticos

4 dicas para reduzir custos na indústria de cosméticos

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Reduzir custos na indústria de cosméticos é um dos maiores desafios da gestão. Não basta, porém, eliminar obrigações financeiras sem, antes disso, avaliar o impacto do corte na performance da operação. É preciso entender as demandas corporativas, identificar os eventuais gargalos e, só então, tomar medidas coerentes para otimizar os recursos.

O método mais confiável é, sem dúvida, a análise de relatórios, balanços e dashboards. Ao extrair dados internos, organizando-os em filtros customizados e alinhados à visão desejada, o gestor tem acesso a uma radiografia completa de seus processos, validando resultados em todas as esferas da operação — do chão de fábrica ao fiscal.

Com isso em mãos, a estratégia de redução de custos ganha forma e consistência, maximizando o êxito dos ajustes e evitando impactos negativos nas rotinas. Confira, agora, as principais dicas para cortar despesas com mais segurança e efetividade!

Padronização de processos para reduzir custos na indústria de cosméticos

Padronizar processos significa minimizar desvios. Quando se trata de uma estrutura empresarial, esse tipo de movimento contribui para evitar transtornos e prejuízos, mantendo as operações sob controle. É fácil entender o porquê: com um fluxo predefinido de ações sempre à mão, os profissionais não precisam refletir sobre cada etapa do processo, o que acelera as entregas e assegura a qualidade dos itens acabados.

A padronização permite, ainda, a uniformidade dos acompanhamentos gerenciais. Ao estabelecer critérios na produção, por exemplo, é possível fixar modelos de análise e manter a correlação dos relatórios. Se, a cada turno, são produzidas duas mil unidades de determinado creme, o sinal de alerta soará se, certo dia, a produção no período cair para mil frascos.

Em situações assim, a resposta deve ser rápida e assertiva. É provável que haja algum problema nas máquinas ou, então, que a matéria-prima necessária tenha se esgotado. Em ambos os casos, surge a evidência de problemas no planejamento ou na execução dos processos, despertando a necessidade de repensar as diretrizes da empresa.

Otimização de compras

O departamento de Compras tem uma missão estratégia na indústria de cosméticos: negociar os melhores insumos pelos melhores preços, reduzindo custos com reposição de materiais.

Muito embora o trabalho seja, de fato, desafiador, há uma boa notícia. A tecnologia de gestão pode ajudar, assegurando que todos os dados necessários às táticas de reabastecimento estejam à disposição do analista, responsável por perseguir (e garantir) condições mais atrativas.

É possível, por exemplo, consultar o histórico de demanda sazonal para corroborar a estratégia de compras. Aumentando ou reduzindo o pedido de acordo com as expectativas de venda. Além disso, o IQF (Índice de Qualidade do Fornecedor), calculado por meio de critérios de excelência, fornece insights valiosos para que os profissionais priorizem a parceria com empresas confiáveis, capazes de cumprir com os prazos estabelecidos e de entregar materiais de qualidade, assim cooperando para reduzir custos na indústria de cosméticos.

Outro recurso importante aos compradores é o ressuprimento automático. A ferramenta automatiza a emissão de Ordens de Compra de acordo com a notificação sistêmica de baixas no estoque, solicitando orçamentos e acelerando a reposição do estoque. Ao capital humano, cabe, portanto, a tarefa mais estratégica: negociar condições de forma a otimizar os custos.

Controle de qualidade

A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é o órgão que regula e fiscaliza a produção de cosméticos. O primeiro passo para o controle de qualidade é obedecer às normas da instituição, fornecendo todos os laudos necessários.

O ERP, enquanto sistema integrado de gestão, é aderente às indústrias de cosméticos e favorece a emissão dos laudos exigidos pela ANVISA. O software também personaliza a engenharia de produtos, detalhando processos e materiais de modo a otimizar a utilização de recursos — sejam eles físicos, financeiros ou humanos. Evitando, assim, desperdícios ao longo de toda a linha produtiva.

Ainda que a confirmação da qualidade seja a última etapa da produção, liberando o lote para armazenagem interna até que haja a separação de venda, a verificação da conformidade não deve ser encarada como uma atividade isolada. Pelo contrário! Do componente vegetal à embalagem do creme, todos os insumos, bem como as combinações subsequentes, devem ser submetidos a um olhar rígido de qualidade, impedindo que os prejuízos se acumulem ao fim da cadeia.

A redução de custos perpassa, é claro, pela maximização dos recursos. Não basta eliminar despesas pontuais para reduzir custos na indústria de cosméticos, tais como treinamentos extras e fretes especiais, e esquecer a torneira aberta no chão de fábrica. Os relatórios globais, gerados a partir do ERP, facilitam a identificação de gargalos e endossam a postura necessária para repará-los de imediato.

Acompanhamento de estoque para reduzir custos na indústria de cosméticos

A boa gestão do estoque é essencial a qualquer empresa, independentemente do segmento em que atue. Na indústria de cosméticos, no entanto, a administração dos produtos acabados deve ser ainda mais cautelosa e eficiente: negligências e descuidos podem gerar prejuízos significativos — além de irrecuperáveis — aos cofres corporativos.

A própria natureza do produto explica a particularidade da circunstância. Cosméticos têm prazo de validade e precisam chegar ao ponto de venda com certa antecedência, assegurando a saúde do giro de estoque do revendedor.

Para evitar perdas, é válido definir uma metodologia dinâmica de escoamento. O FEFO (first expire, first out), por exemplo, estabelece que a separação de pedidos deve seguir um critério específico: os que expiram primeiro. Ou seja, os itens com prazo de validade mais curto — devem ter prioridade.

Não basta, porém, implantar o método e esperar que ele seja espontaneamente seguido pela equipe, eximindo as lideranças da tarefa de viabilizar suporte integrado à atividade cotidiana. A melhor forma de viabilizar o cumprimento das normas é sistematizar todo o processo.

Na prática, o FEFO deve ser fixado como um padrão operacional no sistema de gestão. Dessa forma, a cada novo pedido de venda registrado, o software gera automaticamente a posição do produto que deve ser separado. Ao visualizar o número de prateleira e o lote do item, tudo o que precisa fazer é se dirigir ao estoque e encontrar o produto. Minimizando a incidência de erros, reduzindo perdas e favorecendo o giro de estoque mais lucrativo possível.

 

Atenção: se você está enfrentando problemas e acredita que o descontrole de custos pode ser o motivo do desequilíbrio no fluxo de caixa da sua indústria de cosméticos, é hora de expandir a sua visão estratégica. Agende uma consultoria gratuita e saiba como podemos ajudá-lo a superar os entraves da sua operação.

Backup e suas boas práticas para recuperação de dados

Backup e suas boas práticas para recuperação de dados

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Não existe uma pessoa que hoje não considere a proteção de seus dados de extrema importância. Não importa se você está armazenando dados confidenciais de clientes ou da própria empresa ou simplesmente possui vários vídeos de cachorrinhos armazenados em pastas, ninguém quer acordar uma manhã e descobrir que seus dados se foram. Devido à natureza dos ataques on-line em constante evolução, é impossível garantir que seus dados nunca sejam invadidos ou corrompidos. A única maneira de se proteger totalmente é fazer backup regular deles para que você possa se recuperar totalmente em caso de um possível ataque aos seus dados.

Vamos começar entendendo: o que é backup?

Backup é o processo de fazer cópias de dados ou arquivos de dados para usar no caso de perda ou destruição de dados ou arquivos originais. Realizar um backup também pode se referir a fazer cópias para fins de histórico, como estudos longitudinais, estatísticas ou registros históricos ou para atender aos requisitos de uma política de retenção de dados.

Separamos algumas dicas práticas recomendadas para você decidir a solução ou soluções de backup ideal. Esses indicadores vão garantir que seus dados sejam seguros e totalmente recuperáveis.

Use armazenamento remoto

Um fator crítico na sua solução de backup são os backups remotos. Fazer backup de seus dados e armazená-los no mesmo disco que os dados originais pode ser tempo jogado fora. Os backups externos, ou pelo menos fora do servidor, permanecerão viáveis, mesmo se o servidor central estiver comprometido, permitindo recuperar totalmente os dados. Seja em um servidor físico ou em nuvem, os backups externos são cruciais para a recuperação de ataques ou perdas de dados inesperadas.

Faça backups com frequência e regularidade

Evite a perda de seus dados críticos, assegurando que os backups sejam feitos com frequência e em uma programação regular. Em servidores totalmente gerenciados, seu painel de controle oferece a flexibilidade de ter backups dentro da sua programação.

Determinar com que frequência seus dados são atualizados pode ajudar você a criar uma linha do tempo com a frequência de backup dos seus dados. Dados críticos atualizados continuamente precisarão de um agendamento de backup mais frequente. Uma solução de backup contínuo funcionaria bem nesse caso. Considerando que dados mais estáticos podem precisar apenas de backups diários/noturnos ou até semanais. Em seguida, verifique se a sua solução de backup corresponde às suas necessidades.

Considere o período de retenção

Depois de determinar a frequência, também é vital considerar por quanto tempo você manterá cada backup. Manter todos os backups para sempre não é possível devido a uma quantidade limitada de espaço para armazenamento. A maioria das soluções de backup oferece uma série de agendamentos de retenção, como manter backups diários e por hora por uma semana, backups semanais por um mês e backups mensais por alguns meses ou até anos. Esse tipo de agendamento permite ter vários backups recentes na recuperação.

Boas práticas de backup incluem a retenção de backups específicos, como mensais ou semestrais, pelo maior tempo possível, se não para sempre. Além disso, recomendamos pesquisar os padrões e requisitos de retenção de dados do seu setor.

Mantenha os backups criptografados e protegidos

Há casos em que não é suficiente fazer backup de seus dados em um local externo. Além da segurança das instalações que mantêm seus backups, criptografar os arquivos é uma etapa adicional da segurança dos dados. A criptografia de backup durante o armazenamento garante que seus dados estejam dentro da sua expectativa no caso de precisar recuperá-los.

Armazenar backups em matrizes RAID

Você deve armazenar seus backups em matrizes RAID. Distribuir seus dados por duas ou mais unidades em uma matriz RAID permite melhor desempenho, confiabilidade e conjuntos de dados mais abrangentes em sua solução de backup. Os RAIDs também podem ajudar a garantir que seus dados armazenados sejam protegidos contra a falha de uma única unidade.

A redundância, também conhecida como infraestrutura de alta disponibilidade, é a melhor maneira de diminuir o risco de ficar offline e/ou perder dados durante um ataque.

Continue a seguir a regra de backup 3-2-1

A regra 3-2-1 do backup estabelece que as organizações devem manter três cópias completas de seus dados, duas das quais sejam locais, mas em diferentes tipos de mídia, com pelo menos uma cópia armazenada fora do local. Uma organização que utiliza essas técnicas deve fazer backup em um sistema de armazenamento de backup local, copiar esses dados para outro sistema de armazenamento de backup local e, em seguida, replicá-los para outro local. No data center moderno, é aceitável contar um conjunto de capturas instantâneas de armazenamento como uma dessas três cópias, mesmo que esteja no sistema de armazenamento primário e dependente da integridade do sistema de armazenamento primário. Como alternativa, se a organização estiver replicando para um segundo local, poderá replicá-lo novamente para outro local para atender aos requisitos de três cópias.

A exigência de duas cópias em dois tipos de mídia separados é mais difícil para o data center moderno. Na sua forma mais pura, dois tipos diferentes de mídia significam literalmente dois tipos diferentes de mídia, ou seja, uma cópia dos dados no disco e uma cópia na fita. A forma mais pura dessa regra ainda permanece a prática mais ideal, mas é aceitável que as organizações considerem que uma cópia dos dados no armazenamento em nuvem seja o segundo tipo de mídia, mesmo admitindo que ambas as cópias estejam fundamentalmente em unidades de disco rígido. A contagem da nuvem como um tipo de mídia diferente também é reforçada se essa cópia na nuvem for imutável e só puder ser apagada após a aprovação de uma política de retenção. Em outras palavras, não pode ser apagado por um ataque malicioso.

Use o backup em nuvem com inteligência

Os profissionais de TI devem continuar demonstrando cautela ao mover dados para a nuvem. A necessidade de cautela é especialmente verdadeira no caso de dados de backup, pois a organização está alugando essencialmente o armazenamento ocioso. Embora o backup na nuvem forneça um preço atraente inicialmente, os custos da nuvem a longo prazo podem aumentar. Pagar repetidamente pelos mesmos 100 TBs de dados eventualmente pode se tornar mais caro do que possuir 100 TB de armazenamento. Além disso, a maioria dos provedores de nuvem cobra uma taxa de saída pelos dados movidos da nuvem para o local, o que ocorre sempre em uma recuperação. Essas são apenas algumas razões pelas quais é tão importante adotar uma abordagem estratégica para escolher um provedor de backup em nuvem.

Não use backup para retenção de dados

A maioria das organizações retém os dados em seus backups por muito tempo. A maioria das recuperações vem do backup mais recente, não de um backup de seis meses, e muito menos de seis anos atrás. Quanto mais dados contidos na infraestrutura de backup, mais difícil é gerenciar e mais caro fica.

Uma desvantagem da maioria dos aplicativos de backup é que eles armazenam dados protegidos em um formato proprietário e, geralmente, em armazenamento separado para cada tarefa de backup executada. O problema é que arquivos individuais não podem ser excluídos do armazenamento. Leis como a LGPD exigem que as organizações mantenham e segreguem tipos de dados específicos. Elas também exigem, graças às políticas de “direito a ser esquecido“, que as organizações excluam apenas determinados componentes dos dados do cliente e continuem armazenando outros dados dele. Além disso, essas exclusões devem ser executadas sob demanda. Como a exclusão de dados em um backup é uma impossibilidade, a empresa pode precisar executar etapas especiais para garantir que os dados “esquecidos” não sejam restaurados acidentalmente.

A maneira mais fácil de cumprir esse regulamento é não armazenar dados a longo prazo no backup. O uso de um produto de arquivamento para retenção de dados permite que as organizações cumpram vários regulamentos sobre proteção de dados, além de simplificar a arquitetura de backup. Normalmente, os sistemas de arquivamento são vendidos como uma maneira de reduzir o custo do armazenamento primário e, embora isso ainda seja verdade, o principal valor deles é ajudar as organizações a atender aos requisitos de retenção. Como resultado, as organizações podem simplesmente restaurar as tarefas de backup para o arquivo morto, que é um processo de baixa produção e fornece granularidade arquivo a arquivo.

Conclusão

Os dados que estão no servidor são a empresa em si. Dados de extrema importância, por exemplo, estão no Areco ERP como: PCP; Estoque; Financeiro; Contábil; Clientes e Fornecedores.

Casos como queima de HD do Servidor, Criptografia de Dados, Quedas de Energia, Vírus, Máquinas Virtuais – entre outros, são fatores que podem levar a perda de dados da empresa. Caso a organização não tenha um backup de dados externo, trará dor de cabeça em vários aspectos para os donos, gerentes e colaboradores.
Por esses motivos, salientamos a importância de salvar backups diários do sistema, se possível em duas plataformas, como um HD Externo – não conectado no Servidor e, também, em uma plataforma em Cloud, por exemplo: Google Drive, Mega, DropBox.
A Areco tem a solução para as pessoas que desejam maior segurança com seus dados com o serviço de hospedagem de servidor em nuvem. Na plataforma da Amazon Cloud, onde são feitos backups automáticos e toda a administração do servidor fica por conta da Areco.

Dentro do serviço Cloud você terá acesso à computação de escala na web elástica; um serviço controlado; serviços de hospedagem em nuvem flexível; um serviço integrado, controlado; além de ter um baixo custo e sua instalação ser simples.

Quer saber como podemos ajudá-lo(a) a otimizar as boas práticas do seu backup? Entre em contato com um de nossos especialistas e agende uma consultoria gratuita!

Gargalos de produção: quais são e como resolver

Gargalos de produção: quais são e como resolver

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Com certeza nenhum gestor quer ter gargalos de produção na sua empresa! Se comparada ao corpo humano, a linha de produção pode ser descrita como o coração de uma fábrica. Afinal, todas as demais funções da indústria ganham direção e sentido, prolongando a saúde e a viabilidade da operação.

Quando há algum desvio as consequências costumam ser graves e impactar as demais unidades de negócio. Assim como o bom funcionamento do coração, em se tratando de biologia, assegura uma vida mais tranquila e produtiva, o alinhamento da produção garante resultados perenes e duradouros à companhia.

Então, fica evidente que a sinergia da fábrica deve ser uma prioridade corporativa. Em um mercado cada vez mais competitivo, é preciso dispor de ferramentas ágeis e integradas, capazes de potencializar a performance e os indicadores da produção. A tecnologia desponta como a melhor alternativa gerencial.

 

O que são gargalos de produção?

No dicionário, o termo “gargalo” ganha um sentido figurativo, referindo-se a um “obstáculo em algum processo; empecilho”. O significado é que se adapta perfeitamente ao ambiente empresarial, no qual problemas processuais podem causar transtornos e prejuízos.

A linha de produção é, sem dúvida, o cenário mais comum para os gargalos nas indústrias, uma vez que estão diretamente relacionadas ao core business e acabam por afetar toda a estrutura corporativa.

No contexto empresarial, um gargalo produtivo pode ser descrito como um desvio específico em alguma das etapas do fluxo produtivo, dificultando o cumprimento de metas e, assim, diminuindo a produtividade das equipes.

Considerando a complexidade de uma linha de produção convencional, na qual uma sequência minuciosa de tarefas dá forma aos itens comercializados, fica fácil entender a relevância de manter uma observação atenta e de, caso algum problema seja relatado, agir proativamente para corrigi-lo o mais breve possível.

Na prática o gargalo de produção deve ser entendido como uma barreira operacional, travando a execução das rotinas conforme o padrão previamente estabelecido.

Não seria equivocado dizer que a ocorrência de falhas está geralmente associada a vulnerabilidades estratégicas, gerenciais e tecnológicas – e que todas elas são perigosas para a saúde do negócio.

 

Como identificar gargalos de produção?

Identificar gargalos de produção é tarefa essencial para um bom rendimento da linha de produção. Quanto mais rápido for identificado, melhor, pois quanto mais demorar para identificar um gargalo de produção, mais material e tempo será perdido em vão. Resultando em prejuízos financeiros para sua empresa.

Porém, existe um modo mais assertivo de visualizar e corrigir os gargalos produtivos. Ao dispor de dados consistentes e atualizados em tempo real — tais como painéis gerenciais —, os líderes podem monitorar o desempenho das máquinas e das equipes, minimizando a possibilidade de desvios.

Ao final do turno também é possível extrair relatórios que condensem as informações operacionais e demonstrem indícios de irregularidades. Dessa forma, os impactos negativos são suavizados por meio da ação rápida e consistente, atingindo o foco do problema e contornando-o imediatamente.

A conclusão, portanto, é de que a identificação ágil dos gargalos de produção é uma exigência do mercado moderno e uma condição essencial à competitividade.

Mas, também existem outras formas de identificar gargalos de produção, tais como:

 

Avaliar seu input e output

Faça uma analise criteriosa das entradas (inputs) e saídas (outputs) da sua linha de produção. Verifique se a matéria-prima que entra esta correspondendo a quantidade necessárie exata de produto na saída que deveria ser.

Por exemplo, se 1kg de ferro derretido é capaz de produzir 100 parafusos, mas na verdade só está produzido 50, já conseguimos entender que existe um gargalo de produção de até 50%. Isso resultará, em longo prazo, um prejuízo enorme para a sua empresa.

 

Identificar as possíveis causas

Como já avaliamos o input e o output devemos então dar o próximo passo. Faça uma analise, identifique e liste as possíveis causas desses gargalos de produção. Para isso você pode se basear em alguns pilares básicos, como: profissionais envolvidos, processo de produção,  métricas e indicadores usados, tecnologias aplicadas, espaço de trabalho e materiais usados.

Discuta com sue equipe quais podem ser as possíveis causas, várias cabeças pensam melhor que uma!

 

Quais são os principais gargalos de produção?

Independentemente do segmento ao qual se dedique, é comum que as indústrias apresentem semelhanças operacionais. Por consequência, os gargalos produtivos também são similares — o que, em certa medida, facilita o aprendizado e a evolução do setor — e podem ser categorizados com certa facilidade.

 

1. Falha na gestão de matéria-prima

A produção requer a disponibilidade de insumos, mas há muitos fatores complementares envolvidos na gestão de fornecedores e de matéria-prima.

Para evitar gargalos na produção diária ou semanal programada, por exemplo, é necessário manter uma relação de confiança com o parceiro, assegurando entregas no prazo e produtos de qualidade.

O não cumprimento de prazos na fábrica comprometem toda a cadeia de resultados da organização, já que a falta de produtos significa menos venda e entrega e, por consequência, menos margem de faturamento.

 

2. Falta de acompanhamento na produção

Por mais que haja uma padronização de processos na fábrica, sinalizando a sequência operacional ideal e as ferramentas necessárias a cada etapa, o acompanhamento continua desempenhando papel fundamental na produtividade da linha.

E não se trata apenas de um supervisor. A tecnologia de gestão permite a visualização em tempo real das atividades, contabilizando o tempo operacional de cada homem/máquina e projetando a capacidade produtiva.

Contudo, a ausência de mecanismos de monitoramento implica em desconhecimento do problema e a demora na tomada de ação. E você sabe: o mercado não costuma ser compreensivo com falhas repetitivas.

 

3. Ausência de controle de estoque

Assim como a análise frequente da matéria-prima é imprescindível para o bom funcionamento da linha de produção, o controle de estoque é fundamental para garantir a lucratividade da operação.

Neste aspecto, é importante que os gestores se dediquem a verificar a demanda e a entender possíveis sazonalidades em seus segmentos, garantindo mais assertividade no controle produtivo.

Estoque inflado e com baixa saída é um grande risco à saúde financeira do negócio. A depreciação nos imobilizados da empresa, como máquinas que estão produzindo produtos com baixa saída, afeta o custo da produção do item e pode transformar o lucro em prejuízo. Uma vez em que o estoque esteja parado, o resultado da empresa é prejudicado, já que o custo não pode ser revertido em venda.

 

Como é possível minimizar e resolver os gargalos de produção?

Os gargalos apontados são relativamente comuns e é possível que um (ou mais) deles esteja afetando seus resultados agora mesmo. Então, Vale a preocupação mas a ação para resolve-los é ainda mais primordial.

Trouxemos para você  4 métodos para minimizar e resolver os gargalos de produção. Confira:

 

Encontre a raiz do problema

Como já vimos, os gargalos de produção são etapas dos processos que estão sendo ineficientes e insuficientes. Portanto, elas impactam diretamente na produtividade atrasando o fluxo de todas a tarefas seguintes e até mesmo podendo paralisar a produção.

Um pontapé inicial é fazer uma análise assertiva e minuciosa desta etapa em específico que esta com problemas. Então, converse com todos os envolvidos, avalie as máquinas, faça testes, pesquise, descubra qual é a raiz do problema.

A partir disso, a possibilidade de apontar o caminho a ser seguido e conseguir encontrar um recurso ou método adequado para reparar os contratempos, é maior.

Exemplo:  o problema é excesso de retrabalhos, qual a causa disso? Uma explicação errônea ? Por que ? Falta de informações? Porque os responsáveis não sabem coletar as informações? Falta de treinamento?

Pronto, chegou a raiz do problema!

 

Invista no seu time

Como dito anteriormente a falta de treinamento do seu time pode ocasionar gargalos de produção.

Oferecer formas de unir a equipe e fazer com que melhore seus resultados e desempenho é uma boa maneira para evitar que gargalos surjam. Então, incentivar a produtividade pode ser um ponto crucial nesse momento.

Então não pense duas vezes, de treinamentos para o seu time, invista em tempo e conhecimento para que todos possam ser muito mais produtivos no trabalho, assim evitando os gargalos de produção.



Mapeie os processos

Vimos no primeiro tópico que devemos ir ao fundo e procurar a raiz do problema. Muitas vezes o problema esta nos processos, já que os gargalos de produção são falhas nas etapas e processos. Então, conhecer exatamente todas as etapas do processo de produção é requisito importante para conseguir analisar, prever e corrigir problemas. Sem isso, não há como eliminar gargalos de produção.

Mapeando os processos corretamente conseguimos trabalhar com a previsibilidade. Conseguimos encontrar os indicadores de desempenho de cada processo e etapa assim evitando os gargalos de produção. Pois, desta forma será muito mais eficiente encontrar os atrasos e erros.

 

Software de gestão

Ao dispor de recursos eficientes, as lideranças corporativas são capazes de sanar problemas recorrentes e de maximizar a competitividade, alavancando a rentabilidade da fábrica.

Portanto na prática, é preciso que os líderes empresariais enxerguem o potencial de suas linhas de produção e possam explorá-lo com foco e consistência. Para isso, a tecnologia de gestão é crucial, agindo como um catalisador das melhores práticas administrativas.

Os gargalos de produção prejudicam a produtividade e comprometem a performance da companhia. Então, a missão de preveni-los deve ser uma prioridade — e um software integrado é a resposta para muitos dos problemas da fábrica.

Com ele você consegue:

  • o mapeamento do processo de produção, relacionando e padronizando as atividades e quais recursos estão envolvidos em cada fase de operação;
  • a definição do processo mais eficaz considerando as particularidades e os objetivos do negócio;
  • a implementação de KPIs que funcionam como indicadores de avaliação e permitem a conferência rápida e eficaz, evidenciando a eventual necessidade de ajustes;
  • a criação e manutenção de uma rotina acompanhamento empoderando gestores e decisões.

 

Mas, ainda está com dúvidas ou dificuldades para entender os gargalos de produção? Então, conte com a Areco para isso e fale com um de nossos especialistas gratuitamente!

 

Candidato Ideal para Indústria: saiba como contratar

Candidato Ideal para Indústria: saiba como contratar

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

No papel, qualquer candidato que sua equipe encontrar pode parecer ótimo. Boas habilidades, experiências anteriores relevantes e um currículo estruturado. Porém, se não corresponder à cultura da sua empresa, existem grandes chances daquela contratação, ao longo do tempo, não ser exatamente o que consideramos o candidato ideal para indústria.

Neste artigo vamos explicar por que você deveria reservar um tempo para criar seu candidato ideal para ter resultados ainda melhores com a contratação.

Boa leitura!

O que é o Candidato Ideal?

Candidato Ideal é um termo que surgiu do inglês “Candidate Persona” para caracterizar justamente o Candidato Ideal através da construção de uma “Persona” para a fase de contratação. Persona é uma representação semi-ficcional do seu candidato ideal. Os profissionais de Recursos Humanos precisam definir suas personas para ajustar suas estratégias de recrutamento de talentos que desejam atrair para suas empresas.

Criar personas ajuda a guiar seu processo de contratação e a identificar o talento mais adequado para sua organização. Sem a construção da Persona, será difícil para a equipe de RH avaliar os currículos que chegam ou saber qual perfil do LinkedIn é o mais ideal para aquele cargo.

A construção da Persona vai te auxiliar a:

  • Obter um entendimento profundo dos requisitos de comportamento e qualificações;
  • Criar sua estratégia para obter os candidatos certos;
  • Criar material de recrutamento (descrição da função, formulário de inscrição, materiais introdutórios, e-mails) para obter mais candidatos.

Personas:

As personas, tradicionalmente, têm sido usadas em marketing e ajudaram vários profissionais da área a aumentar a eficiência de suas campanhas de marketing. Aqui podemos definir a persona de marketing como:

  • Um perfil semi-ficcional composto de um segmento-chave do seu público-alvo. Para fins de marketing de conteúdo, você precisa de personas para ajudar os profissionais de marketing a fornecer o conteúdo que seja mais relevante e útil para o seu público.

Dentro do mesmo raciocínio, uma “candidate persona” pode ser definida como:

  • Um perfil semi-ficcional composto de um segmento-chave dos seus candidatos. Para fins de recrutamento, você precisa dessas personalidades para auxiliar na criação de estratégias que serão mais úteis e relevantes para obter candidatos ideais para uma vaga.

Criar a sua Persona não é nenhum bicho de sete cabeças! A seguir fizemos um passo a passo para a criação do Candidato Ideal.

Definir sua persona pode trazer diversos benefícios:

Atrair as pessoas certas

Se você tem uma persona claramente definida, é mais fácil atrair o candidato ideal para indústria. Logo a taxa de rotatividade é reduzida. Quando você se concentra em contratar seu candidato ideal, reduz a possibilidade de pessoas deixarem sua indústria porque elas não se adequaram à cultura, além de melhorar a experiência do candidato ao longo da sua carreira dentro da corporação. Recrute pessoas adequadas à cultura da sua empresa.

Recrutamento aprimorado

Ter uma estratégia de recrutamento bem-sucedida é impossível sem saber quem é seu candidato ideal. Definir a persona diminuirá o tempo e o custo de contratação. Quando você contrata diversos candidatos ideais para indústria, consequentemente garante qualidade para novas contratações. Além de melhorar a relação do consumidor com a sua marca e a reputação da empresa como empregadora.

Ao contratar candidatos ideais, há uma grande chance de eles se tornem seus embaixadores de marca. Isso acontece porque eles se identificam com a cultura, com os produtos e/ou serviços e com o time. Você oferecerá um ambiente de trabalho em que, além dele acreditar, ele profetizará a marca através de redes sociais, conversas com parentes e amigos, etc.

Definir seu candidato ideal para indústria, mais do que acertar na contratação, fazer um time forte para trabalhar ou criar embaixadores de marca, ajudará você a garantir a satisfação dos funcionários. Os funcionários que se encaixarem bem na sua empresa, consequentemente estarão muito mais satisfeitos com seus empregos.

Então como criar o Candidato Ideal/Persona?

Antes de criar a Persona, você precisa primeiro ter uma base. A criação da Persona começa com a coleta de informações, análise dos dados pré-existentes para encontrar padrões e depois trabalhar em cima dessas informações.

Juntando informações:

Separamos aqui quatro maneiras pelas quais você pode obter informações relevantes:

1. Faça uma entrevista com todas as partes interessadas

Antes de criar uma vaga de emprego, é importante entrar em contato com todo mundo que estará envolvido no processo da contratação daquele candidato. Isso garante que todos da equipe de contratação estejam sintonizados.

Realizar essa entrevista primeiro com as pessoas envolvidas te ajudará a ter uma ideia das características que elas procuram em um candidato. Procure essas pessoas com perguntas pré-definidas. Algumas dessas perguntas podem ser:

Cargo:

Empresas do mesmo segmento podem ter uma nomenclatura diferente para o mesmo cargo. Por exemplo: se você está contratando um Analista para a área de PCP, ele pode ser chamado de “Analista de Processos Industriais”, “Analista de PCP” ou “Analista de Gerenciamento de Produção”. No entanto, ao escolher um cargo, tente garantir que o mesmo seja favorável ao SEO e possa ser descoberto em painéis de empregos, mecanismos de busca, LinkedIn etc.

A empresa em que trabalham:

A equipe de recrutamento em muitos casos já possui uma lista de possíveis empresas-alvo nas quais o candidato poderia estar trabalhando. Pergunte à sua equipe de contratação quais são as empresas que eles procuram na fonte.

Público-Alvo ou Candidatos-Alvo:

Onde os candidatos ideais devem estar localizados demograficamente falando? Qual deve ser a idade e a experiência? Qual é o salário esperado para o cargo?

Habilidades:

Você deve perguntar às pessoas envolvidas nos processos de contratação quais são as habilidades diferentes que o candidato deve ter. Isso ajuda a restringir seus critérios de pesquisa quando você está pesquisando. Tente realizar uma lista adequada de habilidades para aquela área e iterá-la à medida que avança na sua jornada de definição da sua persona.

Qualificações e certificações educacionais:

A contratação terá como alvo cursos, graus ou universidades específicos? Qual deve ser a formação educacional do candidato? Eles deveriam ter alguma certificação? Se sim, de onde e em quê?

Fator determinante:

O que deve brilhar os olhos do seu candidato? Na entrevista, eles provavelmente estarão entusiasmados com certas tecnologias ou direcionados para uma certa visão. Quais valores fazem parte do entusiasmo do candidato com esta carreira?

As respostas para as perguntas acima fornecem uma perspectiva sobre o Candidato Ideal.

2. Entreviste os membros da equipe

As características dos membros da equipe são um bom indicador da personalidade do candidato. O estudo eficaz dos membros da equipe ajudará você a entender o que o candidato ideal deve ter para ter sucesso na função. Você normalmente precisa entrevistar de 2 a 3 pessoas da equipe para obter essas características. Não há um número fixo, mas você deve parar quando sentir que as respostas às perguntas agora começam a ficar repetidas. Pergunte à sua equipe sobre:

Motivação:

O que motiva seus colaboradores no trabalho? Por que eles se candidataram à sua empresa em primeiro lugar e o que os mantém trabalhando nela?

Objetivos:

Pergunte a eles sobre suas carreiras e objetivos pessoais. Onde eles querem estar depois de X anos? O que eles querem/pretendem alcançar? Existem objetivos pessoais específicos, como educação, casamento, apartamento etc., que são uma parte crucial da vida pessoal deles.

Interesses:

O que eles fazem no tempo livre? Visitam algum site específico? O que eles gostam de ler? Onde eles leem? Onde eles passam o tempo deles quando estão online?

Habilidades e Cultura:

Quais habilidades os ajudam a ter sucesso no trabalho? O que eles gostam sobre a cultura da empresa?

3. Entrevistando os candidatos

Entrevistar os candidatos e membros da equipe ajuda a criar uma hipótese sobre a Persona. Mas uma hipótese não testada pode ser malsucedida. Faça as perguntas acima para os candidatos, bons e ruins. Os candidatos que não se adequarem ao perfil semi-ficcional (Persona) claramente não serão adequados para o cargo.

Perguntas para serem feitas durante a entrevista:

Por que este candidato se interessou pela sua empresa? Quais conclusões fizeram ele achar que este trabalho será diferente do anterior? Do que ele gostou? Onde ele passa o tempo online dele?

Compreender sua Persona ajuda a mapear a personalidade interna da sua empresa no mundo real. Se sua hipótese for verdadeira, a maioria dos candidatos considerados bons para a sua empresa seguirá as características da Persona criada. Você também deve analisar a resposta de candidatos considerados não ideais e avaliar o que não se encaixa no perfil da persona.

4. Use os dados para encontrar informações

Seus dados pré-existentes também são uma fonte valiosa da criação da sua Persona. Mergulhe nos dados dos candidatos e encontre insights valiosos. Qual fonte me oferece mais candidatos de qualidade? Quais faculdades eles cursaram? Para que tipo de empresa eles trabalham?

Chegou a hora de usar a sua pesquisa para criar o seu candidato ideal para indústria

Nesta altura, você já reuniu informações suficientes de suas entrevistas com colaboradores e candidatos. Você também já descobriu algumas informações através de dados coletados. Agora você precisa encontrar tendências e semelhanças nos dados coletados para criar uma Persona. Você pode ter uma única Persona se a vaga for menor ou criar várias personas caso as vagas sejam maiores.

A seguir, será apresentado um modelo de Persona para preenchermos passo a passo:

Primeira etapa: quem é seu candidato?

O primeiro passo é dar à sua persona um nome para personificar as características. Com base em suas entrevistas e dados coletados, preencha os detalhes demográficos, como possíveis designações, empresa atual, conjunto de habilidades, formação educacional etc.

Conversar com seus candidatos e colaboradores fornecerá uma imagem clara das habilidades e interesses do candidato. Esse processo também destaca onde seus candidatos passam o tempo online. Esses canais podem ser realmente eficazes quando se trata de saber onde procura-los ou por onde atrai-los.

Segunda etapa: o que define o seu candidato ideal?

Esta etapa é subjetiva e deve ser interpretada a partir das entrevistas. Aqui você precisará descobrir quais são os objetivos da empresa, as objeções, qual o fator determinante para escolher o candidato ideal para indústria. Esses fatores precisam estar ajustados com base nos dados coletados. A identificação de padrões nas respostas ajudará você a alcançar esse objetivo.

Blog  Candidato Ideal para Indústria: saiba como contratar

Criar uma persona não apenas ajuda a integrar toda a equipe, mas também ajuda a descobrir as características que funcionariam melhor para uma posição. Isso também ajuda a economizar tempo desperdiçado no processo de terceirização e recrutamento de candidatos não ideais.

Como a tecnologia agrega à contabilidade?

Como a tecnologia agrega à contabilidade?

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A contabilidade surge como uma área essencial em qualquer organização. Responsável por coletar, registrar, analisar e repassar informações financeiras, o departamento controla dados que, por refletirem a saúde do negócio, fornecem uma visão detalhada das operações e podem servir como base para novas estratégias de crescimento. Mas, como a tecnologia agrega à contabilidade?

Pensando assim, a contabilidade gera dados para um processo amplo de planejamento. Contribuindo para ampliar avaliações e orientações a respeito do mercado e das obrigações fiscais e tributárias.

Em um mercado cada vez mais competitivo, as mudanças são frequentes. O processo de adaptação deve ser contínuo, profissionais e empresas precisam se reinventar!

Veremos neste artigo como a tecnologia agrega à contabilidade e algumas inovações essenciais para quem visa o crescimento organizacional.

Boa leitura

Tecnologias e inovações para a contabilidade

A tecnologia aprimora os processos de gestão e age como um mecanismo indispensável ao crescimento dos negócios. Isso não seria diferente na contabilidade, é claro.

Existem várias tecnologias e inovações disponíveis no mercado que podem auxiliar o processo contábil, tais como:

  • Aplicativos

    Hoje em dia existem diversos aplicativos gratuitos e pagos disponíveis para download que agregam muito ao processo. Veja estes apps gratuitos que separamos:

  1. Expensify: aplicativo gratuito que gera relatórios de gastos;
  2. Zero Paper: aplicativo existente na versão gratuita e paga, que serve para controlar contas a pagar e a receber e gerar relatórios;
  • Atendimento online

    Esta prática, seja em escritório ou no departamento da empresa, pode ser a solução para gargalo de produtividade. Otimizando o atendimento você diminui as reuniões in loco e pode optar por reuniões remotas, via vídeo conferência. Além de utilizar outros meios de comunicação, como e-mails, chats no site da empresa, formulários online e até comunicadores instantâneos.

  • Assinatura eletrônica

    Sabemos que assinar vários documentos é uma tarefa que demanda muito tempo. Ainda mais se a organização for de grande porte. A todo momento são emitidos diversos documentos que necessitam da assinatura de um responsável. Desta forma, a assinatura eletrônica surgiu para otimizar esse processo. Trata-se de um código exclusivo e interligado a uma pessoa ou empresa, que serve para dar autenticidade e validade a um documento eletronicamente, sem necessidade da presença física de algum representante.

  • Software de gestão integrada:

    Uma das maiores vantagens de usar a tecnologia no é poder otimizar certos processos e facilitar a execução de tarefas, neste caso podemos contar com um software de gestão integrada, como o ERP. Um sistema ERP automatiza processoselimina retrabalho e minimiza as chances de erro nas atividades cotidianas. Por ser responsável pela integração de departamentos, o software é o grande aliado da contabilidade atualmente, além de concentrarem todas as informações necessárias aos fechamentos fiscais e contábeis, o ERP ainda fornece indicativos essenciais de desempenho. Com ele também é possível adotar a prática de integração contábil que propicia mais segurança e assertividade na tomada de decisões, principalmente em questões estratégicas.

Integração contábil

A integração contábil é uma solução desenvolvida para conectar a área financeira dos seus clientes com o seu sistema contábil. Com ela é possível visualizar e importar os dados lançados por eles em seus sistemas de gestão.

A integração contábil desponta como uma poderosa ferramenta para assegurar mais controle operacional e mais segurança na conformidade legal das empresas. Ao explorarem os métodos com consistência, os líderes e contadores são mais ágeis nos fechamentos obrigatórios e têm mais confiança nos dados emitidos.

Por que a integração contábil é importante?

As exigências contábeis, fiscais e tributárias, no Brasil, são bastante amplas e rigorosas. Um levantamento da Receita Federal apontou que as empresas nacionais gastam, em média, 600 horas por ano para calcular e pagar impostos e contribuições — o que equivale a 25 dias de expediente.

Para evitar retrabalhos desnecessários e otimizar as operações burocráticas, a integração contábil, possibilitada pela tecnologia de gestão, atua como uma excelente aliada.

Alguns dos principais benefícios da prática são:

  1. Agilidade nos fechamentos fiscais do módulo SPED

Com o projeto de digitalização das escriturações fiscais e contábeis, o SPED demanda uma série de arquivos que devem ser remetidos ao Governo com periodicidade e critérios específicos, valendo-se da tecnologia para corresponder às demandas de entrega.

A emissão dos documentos é muito mais simples e rápida quando os registros financeiros e contábeis já estão organizados. Já imputados seguindo regras contábeis previamente definidas e que atendem às demandas da empresa.

Por isso, a eficiência e o suporte do software, ainda no que tange aos procedimentos contábeis, tornam-se também indispensáveis à conformidade fiscal, garantindo que a empresa cumpra suas obrigações perante os órgãos competentes.

  1. Facilidade na conciliação bancária

A conciliação bancária, em sua missão de comparar o saldo das contas no banco com o controle financeiro interno da empresa, é de extrema importância para garantir a segurança das informações financeiras e da movimentação de caixa.

Nesse caso, quando as parametrizações referentes às contas financeiras atendem às demandas do Contas a Pagar e do Contas a Receber, o processo de conferência é mais simples e rápido.

O processo de integração contábil, por sua vez, facilita ainda mais essa rotina justamente ao assegurar que as informações sejam registradas de modo estruturado. Basta, então, que o analista responsável faça a checagem para que certifique a pertinência dos valores e prossiga com os fechamentos.

A Areco Sistemas Empresariais é sua parceira agora, amanhã e sempre. Conte conosco para superar as dificuldades do cenário atual e preservar o crescimento do seu negócio.

Estamos aqui para você, agende uma consultoria gratuita com um de nossos especialistas!

Os principais desafios da gestão industrial (e como resolvê-los!)

Os principais desafios da gestão industrial (e como resolvê-los!)

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A indústria 4.0 mudou a mentalidade dos gestores. A transição, ainda que urgente, exige empenho e disponibilidade.  É preciso se libertar de paradigmas obsoletos, reconfigurar a estratégica da fábrica e implantar ferramentas capazes de manter a competitividade da empresa frente à nova ordem do mercado. A boa notícia é que, ao compreender os principais desafios da gestão industrial, você se prepara para enfrentá-los com segurança e coerência! 😉

Neste artigo, exploramos o cenário da gestão industrial e dividimos com você o que aprendemos com centenas de empresas do ramo. São quase quatro décadas de trabalho em prol de fluxos produtivos mais enxutos, orgânicos e rentáveis — e, desde então, os resultados têm sido expressivos e exponenciais.

Ao terminar a leitura, você se sentirá mais preparado para analisar o contexto do negócio e terá propriedade para enxergar eventuais incongruências na sua linha de produção, eliminando desvios e maximizando resultados com agilidade e eficiência.

Boa leitura e bons insights!

 


Tempo de leitura: 13 minutos


A indústria 4.0 como a nova realidade do setor

Se você ainda tinha alguma dúvida, fica o veredicto: a indústria 4.0 não é uma opção — e sua empresa precisa se adaptar, por iniciativa ou por força de mercado, a um cenário completamente diferente.

Calma, gestor: não há motivo para pânico. Para acompanhar o desenvolvimento da linha de produção, principalmente no que diz respeito à eficiência das máquinas e à qualidade das rotinas de trabalho, você pode contar com um aliado de peso. Você acertou em cheio se pensou em tecnologia.

Na prática, o conceito da indústria 4.0 descreve a aplicação de inovações em indústrias de todos os portes. A automação, por exemplo, ganha cada vez mais relevância e o controle gerencial se abastece de recursos transparentes de acompanhamento. Tudo funciona de modo mais enxuto, coeso e, claro, também mais lucrativo.

Quando as operações seguem um fluxo sistêmico, suprimindo erros manuais e evitando prejuízos, é mais fácil manter o ótimo desempenho do time. Além disso, os recursos — sejam eles físicos, humanos, financeiros ou de tempo —, assim como o fluxo de caixa, agradecem a iniciativa, já que são otimizados ao longo de toda a cadeia produtiva.

A gestão 4.0 é uma verdade inadiável e, como tudo o que é novo, suscita desafios que provocam e estimulam a capacidade empresarial.

Chegou a hora de conhecer alguns deles…

 

Os principais desafios da gestão industrial (e como resolvê-los)

A indústria 4.0 modelou a gestão industrial da atualidade. Não é nenhuma surpresa, portanto, verificar que os maiores desafios da gestão industrial estão associados à (falta de) tecnologia. Hoje o que não pode ser medido não pode ser melhorado, e qualquer gargalo que passe despercebido é determinante nos resultados da companhia.

 

Disponibilidade e demanda

Na fábrica, o dimensionamento da produção envolve uma série de fatores. É preciso garantir o máximo alinhamento entre a demanda comercial, a disponibilidade de insumos e o planejamento da produção.

Com tantas variáveis, dá para entender o motivo que torna a preocupação com a demanda um dos principais desafios da gestão industrial, né? Qualquer desvio — seja uma compra exagerada ou a ociosidade dos equipamentos — pode gerar prejuízos severos e comprometer a perenidade da companhia.

Por isso, é importante manter todos os aspectos produtivos sob vigilância, explorando dashboards e relatórios gerenciais bem robustos, de maneira a assegurar o equilíbrio e a lucratividade da operação.

 

Produtividade e otimização

Produtividade tem tudo a ver com otimização e os líderes industriais estão convencidos disso. Para que a fábrica seja eficiente, é necessário manter a integridade dos recursos dos colaboradores e das máquinas, e estabelecer fluxos coesos de trabalho.

A missão da produtividade, entretanto, vai além das rotinas de operação. Todos os dias o gestor industrial precisa analisar os números da unidade e validar a qualidade dos itens acabados via apontamentos online, confirmando a performance da linha com a máxima confiabilidade.

Aqui, vale pontuar que recursos integrados e inteligentes fazem toda a diferença na rotina das lideranças. Acessando uma base consistente de dados, formatando informações de acordo com a necessidade da avaliação, permite que decisões mais acertadas sejam tomadas em menos tempo.

 

Investimento e inovação

A indústria 4.0 é o indício mais evidente da necessidade de inovação na indústria. Para viabilizar mudanças positivas, porém, é preciso manter os olhos bem fixos no orçamento, certo?

O desafio da liderança, neste caso, é filtrar os inputs para dominar os outputs. Isso significa mergulhar nas carências da fábrica e definir o que é urgente e o que é importante, dosando objetivos de curto e de longo prazo de forma sutil e eficiente.

Pense, por exemplo, na possibilidade de automatizar um processo manual no corte de uma peça específica. Quando a tecnologia fabril é incorporada à engenharia do produto, os ganhos são múltiplos. A incidência de erros e o índice de desperdício são consideravelmente menores, já que a interferência humana é reduzida.

Esse tipo de iniciativa é essencial para manter a competitividade do negócio — e deve constar no planejamento do gestor. Da mesma forma, correções e aprimoramentos pontuais são recorrentes e podem demandar ação imediata. Vale ficar atento!

 

O Areco ERP na gestão das indústrias

A Areco Sistemas Empresariais acumula mais de 30 anos de experiência no mercado de tecnologia de ponta. O Areco ERP, ferramenta modular e totalmente integrada, é a escolha de centenas de gestores focados em alta performance. A tecnologia favorece a automatização de tarefas e permeia todo o workflow, conferindo segurança e autonomia em todas as áreas.

Para otimizar as rotinas na linha de produção, o Areco ERP dispõe de funcionalidades indispensáveis à gestão da indústria 4.0.  Da engenharia de produtos ao controle da qualidade.  O software padroniza operações e garante a análise dinâmica das informações corporativas,  a partir dos 2 mil relatórios disponíveis, com filtros variados, confiável do negócio em tempo real.

 

Fique por dentro de alguns dos diferenciais do Areco ERP…

  • a engenharia integrada de produtos, com cadastro ilimitado de níveis (incluindo matérias-primas, subitens, embalagens e roteiros de produção);
  • o planejamento de produção, considerando a disponibilidade de recursos (incluindo quantidade de funcionários, máquinas e horas úteis da fábrica);
  • o gerenciamento de Ordem de Produção, com geração de código de barras para apontamento online.

Não existe uma resposta única sobre os desafios da gestão industrial, há um aspecto comum às estratégias vencedoras: a tecnologia de gestão.

Certifique-se de encontrar uma solução aderente às demandas da sua operação que capazes de empoderar sua equipe.

Precisa de ajuda especializada para solucionar os principais problemas da sua linha de produção?

A gente pode ajudar! Agende uma consultoria gratuita e saiba como a tecnologia de gestão pode tornar sua empresa ainda mais competitiva.

 

 

Blog  Os principais desafios da gestão industrial (e como resolvê-los!)

Como emitir notas fiscais em 4 passos simples

Como emitir notas fiscais em 4 passos simples

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Se você é gestor financeiro ou proprietário de uma empresa, é seu dever emitir notas fiscais, elas são de suma importância para a tributação correta e legal dos impostos em sua empresa.

Mas se você é novo na área e ainda não sabe fazer isso, fique tranquilo! Elaboramos este artigo exclusivo e te ensinaremos como emitir notas fiscais em 4 passos simples. Mas, antes precisamos ter algumas noções básicas sobre notas fiscais.

Então, boa leitura!

 


Tempo de leitura: 10 minutos


 

O que é uma nota fiscal? Para que serve?

Consiste em um documento fiscal que comprova a venda ou prestação de serviço de uma empresa para pessoa física ou jurídica.

Ela serve como recibo e comprovante de compra caso o consumidor requisite troca ou reparação do item vendido. Em caso de algum problema com a empresa emitente o consumidor consegue recorrer à justiça utilizando a nota fiscal como prova.

Em resumo a nota fiscal faz com que as empresas tenham um controle de entrada e saída, verifiquem os impostos pagos, os valores pagos pelos clientes, lucros, entre outros dados. Também facilita a vida da empresa caso ela precise ser analisada ou auditada por terceiros.

 

Eu preciso emitir notas fiscais?

Se você tem ou trabalha no setor fiscal de uma empresa totalmente regularizada com CNPJ, alvará, etc… a resposta é sim!

A não emissão de nota fiscal é ilegal e considerada sonegação, pois ela documenta a transação com o objetivo de recolhimento de impostos. Se algum estabelecimento não entregar a Nota Fiscal após a compra, o consumidor deve exigi-la.

Além disso, a Nota Fiscal é um comprovante comercial que gera confiança e credibilidade entre o comerciante e o cliente.

 

Quais são os tipos de notas fiscais?

 

  • Nota Fiscal de Produto Eletrônica (NF-e): nota fiscal que deve ser emitida na venda de produtos físicos.
  • Nota Fiscal de Serviço Eletrônica (NFS-e): nota fiscal que deve ser emitida na vende de prestação de serviços.
  • Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e): nota fiscal que deve ser emitida no varejo para o consumidor final.
  • Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e): nota fiscal que deve ser emitida quando há prestação de serviço de transporte.
  • Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos (MDF-e): nota fiscal que deve ser emitida para movimentações de cargas, porém, no transporte interestadual (entre dois ou mais estados).
  • Nota Fiscal Complementar: nota fiscal que deve ser emitida para corrigir quantidade de mercadoria ou valor de imposto inferior ao correto.
  • Nota Fiscal Denegada: nota fiscal que deve ser emitida no momento em que existem irregularidades fiscais de uma das partes envolvidas na transação.
  • Nota Fiscal de Devolução: nota fiscal que deve ser emitida para anular operações de compra e de venda que não foram concretizadas.
  • Nota Fiscal de Exportação: nota fiscal que deve ser emitida para clientes que estão no exterior.
  • Nota Fiscal de Remessa: nota fiscal que deve ser emitida quando um empreendedor envia um bem em que já exista uma operação fiscal registrada.

 

Bom, agora que já aprendemos um pouquinho mais sobre notas fiscais e a sua importância, confira o infográfico abaixo com passos simples para emissão de notas fiscais:

 

Blog  Como emitir notas fiscais em 4 passos simples

 

Software para emissão de notas fiscais

Ficou na dúvida com relação ao software? Fique tranquilo para isso o SEBRAE disponibiliza gratuitamente um software enxuto somente para emissão de notas fiscais.

Para fazer o download clique aqui.

Mas atenção! Se a sua empresa está em crescimento e você quer que perpetue, então você deve estar pensando em aderir a esses pontos:

  • Redução de custos;
  • Otimização da produtividade;
  • Redução do prazo de entrega de produtos e serviços;
  • Eficiência nos processos de suprimentos;
  • Melhoria da gestão tributária;
  • Segurança da informação;
  • Melhoria na competitividade;
  • Eliminação de retrabalho.

Portanto, te apresentamos o sistema ERP!

 


Se você está curtindo esse artigo, também vai gostar de:


 

O ERP é um sistema de informação que interliga todos os dados e processos de uma organização em um único sistema, gerenciando por completo a sua empresa, a partir da união de vários módulos que controlam os departamentos. Pesquisas apontam que o uso desta ferramenta aumenta em até 35% o crescimento da empresa.

Um benefício muito importante também é a redução da demanda de tempo para a realização de tarefas e processos. A empresa perde muito tempo utilizando processos e sistemas rústicos, retrabalhos e trabalhos manuais. De acordo com um estudo realizado pela Receita Federal, as empresas brasileiras gastam, em média, 600 horas por ano para calcular e pagar impostos e contribuições – o que equivale a 25 dias de trabalho. Além disso existem diversos outros fatores que influenciam para um maior tempo gasto na realização de tarefas.

Areco Sistemas Empresariais é sua parceira agora, amanhã e sempre. Conte conosco para superar as dificuldades do cenário atual e, é claro, preservar o crescimento do seu negócio a médio e longo prazo. Estamos aqui para você.

Blog  Como emitir notas fiscais em 4 passos simples

 

Como garantir a produtividade da sua empresa em meio à crise?

Como garantir a produtividade da sua empresa em meio à crise?

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Sabemos que a princípio o momento agora é de atenção e corte de gastos nas empresas. Muitas companhias já vêm sofrendo os impactos negativos do COVID-19. Somente nos Estados Unidos já são 10 milhões de desempregados em apenas 2 meses.

Mas como garantir a produtividade da sua empresa em meio à crise? Quais medidas e ações devemos tomar? Como minimizar os impactos?

Devemos ficar atentos às mudanças e nos programar para a retomada, ainda não sabemos ao certo quando o cenário estará propicio para tal ação, mas nesse momento é essencial manter um planejamento baseado na previsibilidade.

Separamos alguns tópicos que devem ser levados em consideração para manter a produtividade e o desempenho da sua empresa, veja a seguir:

 


Tempo de leitura: 8 minutos


 

Acompanhamento e monitoramento das operações e métricas

Fique atento! Acompanhe regularmente os pilares e indicadores da sua empresa, como vendas, satisfação dos clientes, qualidade, atendimento, movimentação de caixa, estoque, índice de inadimplência, entre outros. Monitorar regularmente estes indicadores e ainda discutir as métricas de cada um com o time faz com que fiquemos atentos às mudanças e possamos ter uma tomada de ação rápida e eficaz caso aja necessidade, além de manter todos alinhados.

 

Empatia profissional

Durante esse período, como mencionado na introdução, o índice de desemprego tem aumentado consideravelmente ao redor do mundo. Devemos nos atentar aos nossos colaboradores. Sabemos que não somente os próprios colaboradores dependem do próprio salário para sobreviver, mas sua família também. Por esse motivo, ter empatia e entender a situação de cada colaborador é fundamental.

Suspender as efetivações, promoções e contratações neste período é uma atitude inteligente. Garantir nesse momento a segurança financeira é essencial para que não seja necessário tomar nenhuma medida drástica posteriormente.

 

Comunicação é a base de tudo

Colete as informações e dados de todos os departamentos regularmente e deixe todos os colaboradores cientes, na medida do possível, da situação na qual a empresa se encontra. Independente dos desafios que cada um está enfrentando, é preciso que haja um plano de ação estruturado, e que também leve em consideração as opiniões e percepções dos seus colaboradores.

A comunicação e a transparência nesse momento é algo essencial e indispensável, tanto para comunicação de notícias boas quanto o oposto. A empresa inteira deve estar alinhada, pois o que está em jogo não é somente o faturamento, e sim a preservação de tudo que foi construído até o momento.

Isso vale também para seus clientes, posicione-os em relação aos seus desafios. A parceria é estabelecida também pela transparência. Eles estão atravessando pelo mesmo momento que você.

Cuidado ao transmitir mensagens e comunicados. Em um momento tão delicado como esse, existe uma linha tênue entre transmitir mensagens com seriedade e clareza e mensagens de desespero e alarde. Tenha cautela para não transmitir a imagem de uma empresa oportunista, querendo lucrar em meio ao caos – este é o momento fundamental para sermos empáticos.

 

Planos de ação

Atualmente, o mercado e a economia não estão se comportando da maneira habitual. Muitas medidas e ações estão sendo tomadas e é dever das empresas agora analisarem essa situação e criarem planos de ação para tentarem ter uma visão mais ampla da situação, por mais que o futuro ainda seja incerto.

Levando isso em consideração, devemos pensar a partir de alguns pontos. Em qual situação sua empresa se enquadra no momento?

 

  • Positiva: a empresa consegue manter o ritmo normal em meio à crise;

 

  • Negativa: a empresa não consegue manter o ritmo normal em meio à crise e as vendas estão caindo drasticamente;

 

  • Objetiva: a empresa entende qual seu cenário atual e procura outros meios para se manter;

 

  • Calamidade: a empresa corre o risco de fechar as portas para sempre por conta da queda de faturamento.

 

Pensando a partir deste ponto podemos entender a nossa situação atual em meio à pandemia e ter novos horizontes.

Separamos algumas dicas que podem auxiliar nessa decisão sobre quais medidas devemos tomar. Além disso, o SEBRAE separou uma página com diversos artigos para empresários. Orientações essenciais neste momento de crise, clique aqui.

 


Se você está curtindo esse artigo, também vai gostar de:


 

Dicas para diminuir o impacto causado pela pandemia

 

Presença digital

Aproveite que muitas pessoas – que são potenciais consumidores – estão nas suas casas e invista no marketing digital, ele é seu maior aliado no momento. Use a tecnologia a seu favor para gerar oportunidades de negócio.

 

Qualidade

Nós sabemos que manter a qualidade dos nossos produtos e serviços é algo indispensável na empresa, agora focar nessa questão nunca foi tão essencial para manter a fidelidade e satisfação dos clientes.

 

Férias

Está chegando perto de vencer as férias de algum colaborador? Ou tem a possibilidade de dar férias coletivas? Este é o momento, aproveite para antecipar.

É um meio seguro de realizar o distanciamento garantindo os direitos e benefícios dos colaboradores.

 

Redução de custos

Faça uma avaliação meticulosa sobre os gastos da sua empresa, tente reduzir os custos ao máximo, pensando sempre na previsibilidade e na prioridade.

 

Economize

Tente reduzir os recursos que não são indispensáveis. Despesas mensais, como contas de água, energia e insumos, devem ser reavaliadas.

Mantenha sempre os colaboradores cientes das medidas tomadas, pois eles são pilares essenciais para a eficácia da economia da organização.

 

Compre fracionado

O momento é de minimizar e prevenir perdas. Tente evitar as compras em excesso e em grande escala, se for necessário faça a compra fracionada, desta forma reduzirá os custos e não ficará com estoque parado.

 

Negocie

Sabemos que no momento o faturamento pode estar caindo e a inadimplência deve ser evitada, principalmente agora. Portanto, para não prejudicar o seu caixa, tente negociar com os seus clientes, lembre-se: eles podem estar passando pela mesma situação que você.

 

Areco Sistemas Empresariais é sua parceira agora, amanhã e sempre. Conte conosco para superar as dificuldades do cenário atual e, é claro, preservar o crescimento do seu negócio a médio e longo prazo. Estamos aqui para você.

 

Blog  Como garantir a produtividade da sua empresa em meio à crise?

Agora é a hora certa de trocar de ERP

Agora é a hora certa de trocar de ERP

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Está procurando potencializar a eficacia dos processos dentro do seu setor ou da sua empresa? A pandemia trouxe um cenário de incertezas e você já não tem mais convicção se este é o momento de realizar movimentos? Continue conosco neste artigo e descubra por que agora é a hora certa de trocar de ERP!

O ERP é um sistema indispensável, mesmo em meio à uma pandemia. É ele que fará a empresa continuar administrando, otimizando e automatizando todos os processos e recursos.

Alguns gestores e usuários, depois de algum tempo, passam a ter a necessidade de migrar para um ERP que acompanhe o crescimento da empresa, assim como suas novas necessidades. Logo, diversas dúvidas começam a surgir, pois todos os departamentos serão impactados.

Já agora as principais dúvidas dão espaço para outros questionamentos que nunca imaginaríamos pensar. E agora precisamos entender juntos, além do que já entendíamos antes, se faz sentido trocar de ERP neste momento com base na análise de cenário macro e micro. Acompanhe:

 


Tempo de leitura: 10 minutos


 

Por que agora é a hora certa de trocar de ERP?

Se você está lendo esse artigo, provavelmente está em negociação há um tempo com alguma empresa que desenvolve e comercializa Sistema ERP e seus adicionais, porém se viu em um momento de precisar esfriar o contato para dar prioridade para outras estratégias.

Aqui vamos expor alguns motivos que te mostram porquê você deve retomar o contato com o consultor:

 

O mercado está morno

Não é novidade para ninguém: a campanha para que a população mundial fique em casa tem tomado uma proporção cada vez mais forte.

Empresas do segmento industrial colocaram parte de seus funcionários de férias coletivas e estão racionando a compra de matérias-primas assim como a compra de itens para seus estoques, estão diminuindo a produtividade, recebendo menos pedidos e ainda precisam negociar com fornecedores e clientes. Em um cenário de curto prazo, essa condição pode ser assustadora, mas boas estratégias não são construídas analisando o curto prazo.

O mercado está, no geral, comprando menos, poupando mais, remodelando suas estratégias, investindo em menor escala, diminuindo suas operações de logística, produzindo de forma reduzida. Neste momento, todos os seus colaboradores estão com um contato menor com o mercado comparado ao que costumavam ter, por exemplo, em fevereiro deste ano.

Então, analisando o cenário, agora é a hora certa de trocar de ERP porque como a maioria das empresas estão em um ritmo desacelerado, você e todos os usuários que passarão a usar o novo Sistema ERP terão um tempo otimizado para receber os treinamentos e a implantação será mais eficaz, porque todos estarão com foco e um remanejo de tempo atípico por causa da quarentena.

Neste momento, com as atividades reduzidas, o conselho é que aproveite para a troca, assim as duas empresas (contratado e contratante) têm mais fôlego para discutir estratégias e, além de tudo, realizar a importação da base de dados – processo mais delicado quando toda operação está ocorrendo normalmente.

 

Processos modernizados

Se você já estava planejando passar a bola para um novo ERP, muito provavelmente algumas questões estavam acontecendo dentro de setores ou da empresa como um todo:

  • Você e a maioria da empresa estão mantendo controles paralelos;
  • As falhas têm sido recorrentes;
  • A comunicação está repleta de ruídos;
  • Não há integração e automatização de tarefas;
  • A empresa está crescendo e o ERP atual já não incorpora bem todos os processos e evolução.

Isso acontece porque, conforme a empresa se desenvolve, a execução de alguns processos e tarefas podem começar a ficar dificultosos e, até mesmo, incompatíveis. Nesse momento, passa a ser normal reconsiderar o custo-benefício.

Agora é a hora certa de trocar de ERP porque, com este novo cenário, diversas empresas têm sido empáticas, reconsiderando propostas já feitas e disponibilizando investimentos mais coerentes. Assim, a aquisição de um novo sistema não será, necessariamente, mais cara.

 


Se você está curtindo este artigo, também vai gostar de:


 

Sua empresa não vai deixar de aspirar por resultados quando tudo isso passar

Neste momento, mesmo em um cenário de incertezas, manter o medo não leva você a lugar nenhum, pelo contrário, ele te paralisa, inibe sua criatividade e te impede de enxergar as melhores estratégias.

O crescimento da organização já aspirava pela criação ou adaptação de novos processos, setores e controles e o Sistema de Gestão não acompanha? Isso acontece porque quando há ruídos na comunicação e um sistema que já não é aderente às mudanças que vêm acontecendo dentro da empresa.

Levando em consideração esse fato, é de suma importância que o ERP seja capaz de se adaptar e ser o braço direito dos processos da companhia, assim minimizando erros e auxiliando gestores e usuários na previsibilidade de suas ações. Além de trazer segurança para os próximos passos.

Agora é a hora certa de trocar de ERP porque como toda fase, essa também vai passar (tecnologia e medicina juntas têm nos surpreendido na luta contra o COVID-19) e quando passar, sua empresa não vai deixar de aspirar por resultados positivos e duradouros.

 

Segurança falha

De número 13.709, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi sancionada em 2018 e entrará em vigor no próximo mês de agosto (2020). A regulamentação prevê que as organizações são responsáveis pela segurança, pela privacidade e pela autorização dos indivíduos no que diz respeito à utilização de informações pessoais.

Assim como dentro da Areco, a sua empresa todos os dias armazena e manipula informações valiosas e que precisam ser mantidas em sigilo. Quando o sistema não é capaz de controlar de modo apropriado as informações, os impactos negativos na segurança de dados começam a afetar o seu negócio, influenciando diretamente na confiabilidade e credibilidade no mercado.

A LGPD entra em vigor no mês de agosto, o que nos mostra mais uma vez que agora é a hora certa de trocar de ERP: com todas as parametrizações, adaptações, treinamentos e implantação realizada com sucesso, em agosto a sua empresa já terá um ERP que lhe dará segurança ao manipular e armazenar informações.

Aproveite as oportunidades certas para traçar as estratégias corretas e adiantar-se frente ao mercado, para quando ele reaquecer, a sua empresa estar com o sistema adequado e adaptado para dar continuidade ao crescimento e aos processos modernizados.

 

Aulas EAD gratuítas

Por fim, não poderíamos deixar de comunicar que a Areco Sistemas está disponibilizando para todos os seus clientes sua plataforma de cursos EAD – a Academia Areco – de forma gratuita. Acreditamos que essa ação auxiliará no empoderamento dos nossos usuários, assim como na jornada de cada um dentro das suas rotinas Home Office. A Academia Areco conta com todos os módulos oferecidos dentro do Areco ERP e, atualmente, com centenas de aulas para ensinar e auxiliar usuários na configuração e processos dentro do software.

 


A Areco Sistemas Empresariais é sua parceira agora, amanhã e sempre. Conte conosco para superar as dificuldades do cenário atual e, é claro, preservar o crescimento do seu negócio a médio e longo prazo. Estamos aqui para você.

Como podemos ajudar?