Como consolidar e analisar os balanços contábeis da empresa

Como consolidar e analisar os balanços contábeis da empresa

O controle contábil é essencial às empresas competitivas. Ao entender a contabilidade como o pulmão do negócio, enxergando-a como a ferramenta ideal para projetar resultados e oportunidades, os gestores ganham mais confiança e autonomia para tomar as decisões estratégicas da organização.

Os balanços contábeis, por sua vez, despontam como os instrumentos práticos que permitem o monitoramento operacional e demonstram os resultados corporativos — atualizando diretores e eventuais acionistas. A consolidação dos documentos, portanto, exige atenção e seriedade: a tecnologia de gestão pode (e deve) facilitar o processo e assegurar a credibilidade dos dados.

 

O que é a consolidação de balanços contábeis?

De forma geral, a consolidação de balanços contábeis pode ser descrita como uma demonstração financeira que relaciona uma ou mais entidades e é bastante utilizada com as matrizes e filiais, e também entre empresas controladas e controladoras. No caso de um conglomerado de empresas, por exemplo, é comum que o documento explicite a situação contábil do grupo como um todo, consolidando-os.

O principal objetivo da ferramenta é formalizar um diagnóstico crível da saúde corporativa, pontuando as atividades financeiras e sinalizando déficits e superávits. Ao dispor de números concretos, as lideranças são mais assertivas na compreensão de cenários e podem tomar decisões cada vez mais coesas.

Em função de sua profundidade e de sua relevância, a consolidação de balanços contábeis é, sem dúvida, uma tarefa complexa. Não basta, por exemplo, planilhar as informações da empresa e oferecê-las aos gestores (e eventuais acionistas) em seu formato bruto. É preciso contar com um método de organização e integração dos dados, transferindo toda a movimentação da empresa para a contabilidade, aplicando as regras de integração e  tornando-os úteis ao processo estratégico de análise.

A consolidação de balanços também servirá de base para o cálculo de índices como Liquidez Corrente, Liquidez Seca, e outros índices que são importantes para uma boa gestão.

Na prática, a consolidação de balanços contábeis traz embasamento e informações para uma série de documentos importantes. Os principais são:

  • Demonstração de Resultado de Exercício (DRE);
  • Demonstrações de Lucros e Prejuízos Acumulados;
  • Parecer do Conselho Fiscal, se houver.

Além disso, os relatórios de eventuais auditorias também podem ser incorporados. Para empresas que se enquadram no regime tributário de Lucro Real, é importante anexar o MEP (Método de Equivalência Patrimonial) à documentação.

Assim, fica fácil perceber que a consolidação de balanços contábeis é uma atividade rigorosa, altamente crítica, e que exige know how e seriedade. Para garantir a pertinência dos dados e a viabilidade da avaliação, é imprescindível que o processo seja sinérgico, integrado e automatizado.

 

Por que a consolidação de balanços contábeis é essencial?

A maior motivação para a rotina de consolidação de balanços, das organizações com mais de uma entidade, é a regulamentação legal: a exigência está prevista em lei e é supervisionada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

O processo tem, por si só, benefícios que atestam sua importância. É apenas por meio do balanço, por exemplo, que é possível analisar corretamente o panorama financeiro e contábil de uma entidade ou de um conglomerado empresarial.

Além disso, no que compete ao mercado, a consolidação é um recurso essencial para a obtenção de novas linhas de crédito e costuma ser considerada no momento em que eventuais investidores deliberam sobre um aporte financeiro.

A gestão interna, por sua vez, também é diretamente impactada pelos balanços contábeis: a identificação de gargalos produtivos e a correção de desvios contábeis são algumas das vantagens proporcionadas pelas rotinas de consolidação.

Para fazer frente à competitividade de mercado, é fundamental que a empresa se dedique à transparência e a lisura de suas operações. A consolidação de balanços contábeis certamente é o instrumento capaz de fortalecer a imagem organizacional e manter a saúde corporativa, maximizando os resultados de curto, médio e longo prazos.

 

Como o ERP pode ajudar na consolidação de balanços contábeis?

Segundo a Receita Federal, as obrigações fiscais e tributárias consomem cerca de 600 horas de trabalho por ano. Os balanços contábeis, assim como sua consolidação, entram no cálculo.

O número é expressivo e chega a ser alarmante: é preciso que os gestores disponham de ferramentas capazes de automatizar rotinas burocráticas, otimizando os recursos empregados para cumpri-las.

A tecnologia de gestão é a chave para um processo mais organizado e transparente, conferindo agilidade sem prejudicar a credibilidade. O ERP, por exemplo, tem a capacidade de integrar todas as áreas do negócio e de minimizar erros manuais, suprimindo o retrabalho.

Para além da velocidade operacional, porém, alguns predicados do software garantem sua assertividade na consolidação dos balanços contábeis. Dentre os principais, destacam-se:

  • a rapidez no levantamento de informações, uma vez que todos os números necessários aos documentos estão centralizados e são facilmente acessados;
  • a conformidade legal, atendendo à exigência federal e evitando sanções e prejuízos por descumprimento;
  • a potencialização da gestão, que pode se amparar em dados concretos e, assim, evidenciar possíveis gargalos e eventuais oportunidades de negócio.

Na prática, a consolidação de balanços contábeis desponta como um instrumento de otimização e controle. Mais do que apenas uma obrigação fiscal e tributária, a análise é uma importante sustentação para gestores alinhados a seus negócios e comprometidos com suas empresas.

 

Contabilidade estratégica: a tecnologia de gestão é a chave

Os balanços contábeis integram as rotinas de contabilidade e, assim como as demais demandas da área, devem ser tratados com transparência e seriedade. A tecnologia de gestão é a ferramenta ideal para robustecer os processos de coleta e de análise de dados, alavancando a tomada de decisão.

Para além das atividades gerenciais e estratégias internas, porém, os escritórios de contabilidade também se beneficiam amplamente de recursos que integram e categorizam os dados, centralizando todas as informações da empresa e facilitando o acesso a dashboards e relatórios.

O ERP, portanto, é certamente um poderoso aliado na automatização de rotinas e na agilidade dos fechamentos obrigatórios, assegurando a conformidade fiscal e tributária da empresa atendida. O contador tem mais tranquilidade para fechar suas demandas e evita retrabalhos de busca e conferência.

Dessa forma, não seria equivocado dizer que o software proporciona e endossa uma relação saudável e eficaz entre a contabilidade terceirizada e o cliente corporativo. Quando unidas por um ERP atualizado e seguro, as duas empresas potencializam suas rotinas — otimizando recursos financeiros, humanos, físicos e de tempo — e garantem a viabilidade do negócio, reiterando o cumprimento de todas as normativas exigidas.

 

O Areco ERP automatiza regras de integração contábil para operações de contas a pagar, contas a receber, estoque, ativo fixo e faturamento. Assim, os envios do SPED e as rotinas de conciliação bancária, para citar apenas alguns exemplos, são imediatamente otimizados e passam a ocorrer de modo mais seguro e transparente. É ótimo para o gestor, mas é também excelente para a contabilidade que o atende.

Quer entender como podemos potencializar seus resultados corporativos?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *