Como acertar no preço do produto?

Como acertar no preço do produto?

Desde sua idealização, antes mesmo que qualquer operacionalização tenha sido viabilizada, o objetivo de toda empresa é o de gerar lucro. E, embora aparentemente simplista, a capacidade de atingir a maturidade financeira, tornando o negócio sustentável, depende de uma série de fatores complexos.

Tudo começa, sem dúvida, na estruturação básica da organização — de sua proposta de valor aos canais de distribuição que adotará, por exemplo. Outro aspecto relevante, cuja influência pode determinar o sucesso ou o fracasso do empreendimento, é justamente a precificação.

O que considerar ao pensar em precificação?

O mercado é um ambiente volátil, altamente competitivo e bastante desafiador. Para enfrentá-lo, buscando desenvolver e expandir as operações da empresa, é preciso que os líderes sejam capazes de fortalecer a estratégia do negócio, apostando em uma gestão coesa e assertiva.

A definição de preço para produtos é, sem dúvida, uma das decisões administrativas mais complexas e importantes. Uma vez que está diretamente associada à percepção do consumidor e, por isso, foge ao controle da empresa, é preciso garantir o alinhamento e a segurança para fixar a precificação.

No momento de considerar e construir a tabela de preços para seus produtos e serviços, portanto, é fundamental atentar às variáveis que interferem na tarefa. Afinal, uma visão restrita e equivocada do ambiente (interno e externo) é, além de prejudicial, potencialmente fatal à saúde da organização.

Custos e despesas

Na fabricação de um produto, custos e despesas são inerentes ao processo. Trata-se, por exemplo, dos valores pagos pela matéria-prima e do rateio de recursos empregados — sejam horas da máquina, incidência de tributação ou a conta de energia, por exemplo.

Para formatar um preço coerente, garantindo a cobertura dos dispêndios sem assustar o consumidor final, portanto, é importante dispor de todas as informações pertinentes às rotinas produtivas.

Margem de lucro pretendida

Uma vez compilados os custos (relacionados à atividade-fim) e as despesas (relacionadas à manutenção do negócio), a adição dos valores corresponde à soma demandada por unidade produzida. A ela, deve ser acrescida a margem de lucro que a empresa deseja obter.

Mas atenção: é preciso pensar, com critério e bom senso, nos percentuais sobrepostos. Para além das paredes da empresa, existe um mercado competitivo que exige cada vez mais coerência!

Perfil de público

Para além do que está sob domínio do gestor — ou seja, aquilo que diz respeito à gestão dos recursos corporativos —, é imprescindível que o olhar se volte, também, para o que extrapola os processos do negócio.

O perfil de consumo, por exemplo, é uma variável essencial. De nada adianta oferecer um produto de excelência se o valor percebido, a priori, não justifica o preço cobrado.

Para evitar transtornos e prejuízos, analise os hábitos e preferências do seu potencial cliente e esforce-se para oferecer itens que se adéquem às necessidades do público.

Concorrência

Ao lado do seu produto, nas prateleiras ou nos catálogos, está o produto do concorrente. A comparação é inevitável e desponta como o grande divisor de águas na decisão entre um e outro.

Por isso, não negligencie a movimentação estratégica, no que diz respeito a precificação, das empresas concorrentes. Esteja constantemente atento à elasticidade e, antes de tomar qualquer decisão, avalie os impactos na sua empresa e, mais do que isso, no seu competidor.

Como acertar no preço do produto?

Fica evidente, portanto, que a missão de acertar na precificação é complexa e contínua. Em um mercado dinâmico, é preciso acompanhar e rever a estratégia de preços com regularidade.

E se, externamente, o cenário é desafiador, internamente também há muito o que gerenciar. A tarefa de levantar e relacionar custos e despesas, identificando cada fator de influência no dispêndio unitário, é bastante delicada.

Nesse contexto, a tecnologia em gestão figura como uma valiosa aliada. Um ERP robusto automatiza a formação de preço a partir de cadastros de estoque, cotações, taxas, despesas e projetos de engenharia, por exemplo. A integração total entre os departamentos, viabilizando a centralização de dados operacionais, é determinante na provisão de estimativas transparentes e assertivas.

O Areco ERP oferece ferramentas para simplificar o processo de avaliação de custos e despesas, facilitando o acesso a informações decisivas para estabelecer o preço do produto — de acordo com as particularidades de sua composição.

Além disso, a análise das margens de lucro (e margens de contribuição) também são totalmente gerenciadas pelo software, proporcionando mais tranquilidade para que o gestor tome as decisões de mercado.

 

Quer saber como podemos ajuda-lo a potencializar o seu negócio?

FALE COM UM CONSULTOR!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *